NOSSA MISSÃO: “Anunciar o Evangelho do Senhor Jesus à todos, transformando-os em soldados de Cristo, através de Sua Palavra.”

Versículo do Dia

Versículo do Dia Por Gospel+ - Biblia Online

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Somos semelhantes ao Rei?

Somos semelhantes ao Rei?
Genesis 1:25 ao 27 “Deus fez os animais selvagens, conforme a sua espécie, e os animais domésticos, conforme a sua espécie, e todos os répteis, conforme a sua espécie. E viu Deus que isso era bom. Então disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme nossa semelhança; domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves do céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que se arrastam sobre a terra. Assim Deus criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou.”
 Uma marca de Jesus foi sua compaixão pelos necessitados, ele não hesitava em ajudar as viúvas, os pobres, curar os enfermos, dar esperança aos fracos, dar liberdade aos que estavam presos em uma religião e trazer o reino dos céus para os pobres de espírito. O que será que temos de valioso para que Jesus se importasse conosco e até morresse em nosso lugar?
No livro de Genesis percebemos nossa real importância para Deus. O Senhor teve uma ideia, parece ser meio louca, mas sua ideia é criar um “ser” semelhante a Ele. Perceba, Deus sabe como é bom ser rei, como é bom dominar os céus, como é bom receber serviço dos anjos, como é bom criar o que deseja. Essas coisas são tão boas e prazerosas para Deus que Ele resolve criar um reino para o homem, com animais, plantações e todo tipo de diversidades para que o homem governe esse reino, temos então a terra e nosso propósito. Através disso podemos refletir em duas coisas:
1 – Eu e você somos valiosos para Deus, tão valiosos que Ele nos deu um reino, não fomos criados para sermos escravos ou robôs, não somos fruto de um macaco e nem somos um acidente, na realidade somos reis na terra, somos semelhantes a Deus e temos o privilégio de administrar tudo que existe na terra, isso é maravilhoso! Temos um potencial incrível! Quando alguém te disser que você não é capaz, que não irá conseguir ou que não tem condições para realizar determinada tarefa, não acredite nessa mentira, lembre-se que você pode, você tem potencial para reinar. Não se preocupe porque que isso não é uma exaltação ao homem, nós somos reis na terra, mas Deus é Rei dos Reis e Senhor dos Senhores, você é filho de Deus com um talento incrível, assim como seu Pai que está nos céus pode tudo, você pode vencer na terra, superar as expectativas, dominar os medos e desafios! Você pode simplesmente porque o Todo-poderoso te fez assim.
2- Precisamos lembrar que depois da criação houve a queda do homem, nós não perdemos nosso propósito de ser reis na terra com a queda, mas perdemos a sabedoria para reinar. Guerras, desgraças, aborto, fome, mentira, roubo, assassinato, corrupção, desmatamento e falta de água são exemplos de pessoas que não sabem por ordem na casa. O homem precisa aprender a reinar e quem dá esse curso é o Deus criador! Precisamos nos voltar para Deus, precisamos aprender com o Rei dos Reis o que é bom, precisamos nos relacionar com Ele, precisamos que as “leis” dos céus estejam na terra para um bom governo, precisamos que o reino dos céus seja implantado na terra. Foi isso que Jesus veio fazer, ele se encarnou para apresentar o Reino dos céus, isso que Jesus nos ensinou a orar”. “Venha a nós o Teu Reino, seja feita a sua vontade assim na terra como no céus“. O que estou querendo dizer é que reinar na terra é nossa missão e propósito, implantar o Reino dos céus é a única forma de levar amor, esperança e salvação para o perdido, sem um relacionamento com Deus é impossível um mundo com paz, justiça, esperança e alegria.
Talvez você não ligue tanto para a terra porque você quer o céu, esse artigo serve para nos lembrar que nosso propósito inicial é governar a terra, o céu é uma esperança para falta de Deus em nosso reino, o céu é a esperança para habitarmos em um reino perfeito, mas antes que esse céu chegue, nossa busca é que esse reino comece aqui na terra. Esse reino precisa começar em nossa casa, em nossa escola, até em nossa igreja. Você tem um potencial incrível, você é semelhante ao Rei dos Reis, você sabe administrar, cuidar e criar, então comece hoje um bom reinado! Use seu potencial para o Reino dos céus aqui na terra.
Mateus 4:17 “Começou Jesus a pregar: Arrependei-vos, pois está próximo (chegou) o Reino dos Céus”
Mateus 6:33 “Buscai, pois, em primeiro lugar o seu Reino e sua justiça e todas essas coisas vos serão acrescentadas”
Deus abençoe.

Por Victor dos Santos

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

10 maneiras que você poderá está sendo infiel a seu cônjuge - e você nem sabe

Esteja alerta para as formas como um cônjuge pode ser infiel ao outro. Estes 10 comportamentos podem conduzir à infidelidade. Conheça-os e fique atento.
  • Ter um caso não está de maneira alguma nos seus planos. Nunca vai acontecer. Você ama seu cônjuge e nunca seria infiel. No entanto, você pode não ter consciência de outras maneiras em que está sendo infiel. Se essas ações continuarem, você pode encontrar-se no terreno escorregadio que leva a um caso nunca pretendido e a uma tristeza que você nunca quis em sua vida.
    A infidelidade normalmente se infiltra pela porta dos fundos, disfarçando-se como uma diversão inofensiva ou comportamento inocente. Se você quer que seu casamento dure e seja cheio de felicidade você precisa verificar esta lista para ver se já foi vítima de algum desses comportamentos infiéis.
  • 1. Flertar
    Ter um pouco de diversão lúdica no escritório com um colega de trabalho não pode ser tão grave, você racionaliza. Afinal de contas, paquerar é divertido. Evite-o como uma praga. É perigoso. Se alguém flertar com você, ignore. O que se enquadra na categoria de flertar? Aqui está uma explicação do que é flertar. "[O colega] geralmente é envolvente ao falar e se comporta de uma maneira que sugere uma intimidade levemente maior do que a relação real entre as partes justificaria, ainda que dentro das regras de etiqueta social, que geralmente desaprova uma expressão direta do interesse sexual. Isto pode ser feito através de inserir à comunicação um senso de diversão ou ironia... A linguagem corporal pode incluir mexer no cabelo, contato visual, tocar rapidamente, etc. "
    As pessoas casadas nunca devem se envolver nesse tipo de comportamento com alguém que não seja seu cônjuge. É uma forma real de infidelidade que não leva a nada de bom. A pessoa com quem você está flertando pode entender como um convite e tentar um relacionamento que você nunca teve a intenção de iniciar.
  • 2. Confidências com o sexo oposto
    Quando você confidencia seus problemas a alguém do sexo oposto, está se colocando em uma posição vulnerável. Pode parecer inofensivo. Afinal, você só precisava de um ombro para chorar. Se você tem um problema, fale sobre isso com o seu cônjuge. Esse é o seu melhor ombro para chorar. Sempre. Se isso não for possível para você, tente um parente, sacerdote, ou um terapeuta de confiança. Não alguém que possa considerar isso um convite para a intimidade. Mesmo se não começa dessa forma, muitas vezes termina assim. É uma forma de infidelidade.
  • 3. Passar tempo a sós com alguém
    O que parece ser um almoço inocente com alguém do sexo oposto ou um bate-papo na casa desse alguém sem o seu cônjuge está definitivamente na categoria de comportamento infiel. Você ou a outra pessoa pode dizer: "Ei, nós dois somos adultos. Nada vai acontecer." Bem, as coisas acontecem. Não é apropriado. Vá para casa e passe esse tempo com seu cônjuge.
  • 4. Falar negativamente sobre o seu companheiro
    Quando você é um amigo verdadeiro de alguém, você nunca diz coisas ruins sobre ele para os outros. Seu companheiro é seu melhor amigo e é a última pessoa sobre quem você deve falar negativamente. Se você tem um problema com o seu amado/amada, converse sobre isso com ele ou ela. Deixe suas conversas com os outros se concentrar nas coisas boas sobre o seu cônjuge. Isso é ser fiel.
  • 5. Conversa na Internet com alguém do sexo oposto
    Se você acha que isso é inofensivo, pense novamente. Pode começar assim, mas definitivamente não vai acabar assim. Alguns se envolveram através de uma inocente conversa com um ex-namorado ou namorada do colegial ou da época da faculdade, ou até mesmo um estranho. Uma coisa pode levar a outra e antes que você perceba, seu casamento está em perigo. Não faça isso. Só vai terminar em tristeza e desgosto para sua família.
  • 6. Vestir-se para atrair a atenção de alguém que não seja seu cônjuge
    Se você se veste para parecer bem aos olhos de outra pessoa, você precisa reavaliar seus motivos. Tentar atrair alguém vestindo uma roupa sexy é mais uma forma de saltar para as águas da infidelidade.
  • 7. Escrever bilhetes íntimos ou cartas pessoais a outra pessoa
    Se você estiver escrevendo uma carta de condolências ou parabéns, ou outros bons votos, que sejam de você e seu cônjuge. Então não haverá nenhum mal-entendido sobre suas intenções.
  • 8. Não ser para seu cônjuge um parceiro sexual bem disposto
    Ser fiel ao seu cônjuge significa dar-se mais para que ele ou ela possa desfrutar o lado íntimo do casamento. Ao negar a intimidade sexual ao seu cônjuge, você não está fazendo a sua parte em manter seu casamento forte e gratificante. É uma atitude que cria tristeza e até mesmo suspeita. Ser um cônjuge fiel significa fazer sua parte para tornar seu casamento um belo relacionamento em todos os aspectos.
  • 9. Colocar seus pais à frente de seu cônjuge
    Seu cônjuge deve ser sempre o número um em sua vida. Se algo maravilhoso acontece com você, como uma promoção, uma confirmação de uma gravidez, ou de qualquer outra boa notícia, você pode ser tentado a ligar imediatamente para um de seus pais para compartilhar a alegria. Resista. Deixe que seu cônjuge seja o primeiro a conhecer a sua boa notícia. Em seguida, compartilhe-a com as outras pessoas.
  • 10. Colocar seus filhos à frente de seu cônjuge
    Crianças são importantes. São sem dúvida pessoas muito importantes em sua vida, mas não mais que o seu cônjuge. Se você chuta o seu cônjuge para fora do topo da sua lista de prioridades você não está mostrando fidelidade total a ele ou ela. Seu companheiro deve vir em primeiro lugar. E isso não apenas dá liga ao seu casamento e o torna mais forte, como dá a seus filhos uma segurança que eles nunca teriam se o seu cônjuge não for prioridade.
    Pondere sobre esses pontos e certifique-se que você está sendo 100 por cento fiel ao seu cônjuge. Ao fazer isso você vai criar um casamento verdadeiramente feliz e gratificante.

    Traduzido e adaptado por Stael Pedrosa Metzger to original 10 ways you are being unfaithful to your spouse and you don't even know it.

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

A paz do cético e a tensão do cristão

A paz do cético e a tensão do cristão
Há uma ironia no modo de vida cristão. Ainda que uma das razões para alguém aceitar Cristo seja poder dar sentido para ela, preenchendo o vácuo existencial existente quando não se tem a verdade de Deus, a conversão não necessariamente torna-a mais bem resolvida.
Enquanto se é cético e o mundo material é a única preocupação, há, de certa maneira, uma ausência de tensão. Vive-se a realidade presente com toda intensidade, sem culpas, sem acusações de consciência. Como não existe a expectativa de um porvir, a experiência atual se torna o maior valor que alguém pode ter. Neste caso, não cabe a reflexão sobre a medida das coisas, restando apenas o uso e gozo do que está à disposição.
Nesse sentido, pode-se dizer que o cético vive em paz. Não há nele o conflito entre os valores deste mundo e da vida futura. Como não crê em um porvir, não há tensão entre o quanto deve ceder aos apelos desta vida e o quanto deve reservar para uma glória futura.
Quanto ao cristão, no entanto, sequioso que é pelo Paraíso prometido, certo que as escolhas desta vida são decisivas para determinar se ele participará ou não dele, a paz que, talvez, pretendesse adquirir com sua conversão, se transforma, de fato, em uma constante tensão. A expectativa paulina da glória, que o fazia ansiar pelo mundo vindouro e tratar este como mera passagem, se apodera da alma cristã esperançosa, lançando sobre ela o constante olhar julgador que vigia o quanto anseia o porvir e o quanto se entrega às delícias presentes.
O cristão sabe que o afeiçoamento exagerado ao estado presente o torna insensível quanto ao valor da eternidade. O que está preparado para ele não é algo disponível aos sentidos, pois “nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano” essas coisas. Mas também sabe que abandonar tudo em favor do transcendente o faz perder a noção de suas responsabilidades mais imediatas, mas que são importantes e decisivas, inclusive, em relação ao seu destino. Isso é um evidente fator gerador de tensão e até mesmo Paulo, o apóstolo que ansiava o céu mais que tudo e tinha as glórias terrenas como estrume, sentiu e expressou tal angústia.
Por isso, a escolha por Cristo é, ao mesmo tempo, a solução existencial, pois resolve o problema do destino eterno, e o desencadeador de uma luta íntima perpétua. Claro que há sempre a opção pela mentira, pelo auto-engano. Mas ser cristão, afinal, é mais que uma escolha pelo que faz bem, mas, sim, a busca incessante da verdade. E esta, nesta vida presente, não significa a ausência de conflitos. A paz que Cristo dá, como ele mesmo afirmou, “não é deste mundo“. A paz do cristão é a certeza da glória, ainda que havendo de suportar as dores do mundo atual.

Por Fabio Blanco

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Como viver o Tudo de Paulo dentro do Nada de Davi

Como viver o Tudo de Paulo dentro do Nada de Davi
Deus está presente em cada situação de nossas vidas. E isso faz uma grande diferença. Pois, antes de conhecermos ao Senhor, muitos de nós sofríamos – antecipadamente – devido ao medo (ou insegurança) de não estarmos preparados para enfrentar as situações desta vida que a Bíblia chama de “aflições”.
(Jo 16.33).
No entanto, depois de experimentar algumas delas (aflições) e vencermos, descobrimos que os desafios e perigos presentes, fazem parte de uma serie de exames (obrigatórios), de uma escola – onde o professor, ou melhor: O Mestre, está presente o tempo todo, disposto a ajudar-nos em cada dúvida ou fracasso.
O critério usado para a correção de cada prova é o tamanho da nossa fé. Ela se torna um elemento chave, para recebermos a coroação de uma extensa jornada de desafios e obstáculos.
E no campo de nossa fé, devemos aprender cada matéria ensinada por cada um dos grandes heróis da fé. Que lutaram a boa peleja, deixaram um legado e muitas vezes desprezamos, ignoramos e até desconfiamos dos segredos que eles usaram para conquistar suas vitórias.
Paulo, um grande herói da fé, aprendeu que dentro de suas experiências havia um Tudo capaz de vencer todos os obstáculos e dificuldades;
Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho.
Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade.
Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece.
Filipenses 4:11-13
Ao poder todas as coisas, Paulo estava afirmando que vivia dentro de um conceito em que Tudo era possível. Não se tratava de uma fé abstrata. Simplesmente o apóstolo reconhecia que todas as coisas – boas ou runs – era uma oportunidade de Deus trabalhar em seu favor. (Rm 8.28).
Existe um Tudo disponível para aqueles que de coração amam a Deus. Para eles, há providência dos céus mesmo quando tudo pareça falhar.
Dentro do Tudo de Paulo, aprendo que não existe Nada que nos possa faltar, assim como Davi expressou em um de seus mais memoráveis Salmos;
[Salmo de Davi] O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará.
Salmos 23:1
Quando enfrentamos os problemas desta vida, confiados em que temos ao nosso lado a provisão de Tudo o que precisarmos, e a convicção de que Nada nos faltará, trazemos a presença do Pastor de Israel para perto de nós.
Estar com Deus, e caminhar ao seu lado, são as formas nas quais entramos na dimensão do Tudo Nada do Senhor, e sendo assim podemos afirmar:
Tudo estará bem, e Nada poderá arrebatar-nos de suas mãos.
Quando aprendemos a lutar com o Tudo de Paulo, dentro do Nada de Davi, os vales de sombra de morte se convertem em pastos verdejantes, rodeados de águas tranquilas, onde as circunstâncias contrárias se transformam em correntes de rios que nos aproximam ainda mais do nosso Senhor.
Basta vivermos o Tudo de Paulo dentro do Nada de Davi.
Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece.
Filipenses 4:11-13
[Salmo de Davi] O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará.
Salmos 23:1

Deus abençoe,
Rodrigo Faria

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

O amor maior

A língua portuguesa é muito rica. Existem vários casos em que uma palavra pode possuir vários sentidos, dependendo de um contexto. Nossa língua agrega radicais derivados do latim, grego, dentre outras. Para usar como exemplo, de vários casos, cito a palavra AMOR.
Usamos esta palavra diariamente, no português, muitas vezes, para descrever o sentido de um sentimento que, no grego, possui quatro sentidos e tipos diferentes.
Resumidamente, são eles, o amor:
– Fraternal: O afeto familiar, o amor entre pais e filhos.
– Eros: Conhecido como o amor dos poetas. O amor erótico.  O desejo, a paixão. Amor com compromisso (marido e mulher), e sem compromisso, egoísta ou cego (enamorados). Um amor que mata por possessividade.
– Filéo: O amor que une amigos. Mais importante do que, simplesmente, estar na companhia de. Um amor saudável.
– Ágape: O maior dos amores. O amor de Deus por nós. O amor que está descrito em 1Coríntios no versículo 13. O amor que morre no lugar.
Ficamos confusos porque usamos apenas uma palavra para definir essas quatro. Por isso, ocorrem frustrações, decepções, traições, ilusões.  Assim, quando alguém “Y” diz que ama outra pessoa “X”, referindo-se, sem saber, ao amor Filéo, enquanto que o outro “X” entende como sendo o amor Eros, este projeta no relacionamento esse desejo carnal. Havendo assim uma divergência de sentimentos. Um amor ingênuo e outro carnal.
No momento da última ceia Jesus estava contando aos discípulos tudo o que estava para Lhe acontecer, quando Pedro Simão, de forma ingênua, e indignado declara um amor ágape por Jesus com veemência: “Ainda que me seja necessário morrer contigo, de modo nenhum te negarei. E da mesma maneira diziam todos também.” Marcos 14:31
Logos depois, Pedro O negou. E terrivelmente arrependido, chorou lembrando-se das palavras constrangedoras de Jesus: “Ainda hoje tu me negarás três vezes”.
Jesus conhecia cada um de seus discípulos e sabia que Pedro ainda precisava converter-se de sua incredulidade.
Após Sua morte e ressurreição o Senhor Jesus manifesta-se a eles pela terceira vez, e em determinado momento pergunta três vezes a Pedro: Tu me amas(ágape) mais do que a estes? Pedro respondeu: Sim, Senhor tu sabes que eu te amo(ágape).
Mas na terceira vez Pedro se entristeceu, pois percebeu que estaria cometendo o mesmo erro caso não fosse sincero consigo mesmo e, principalmente, com o Senhor Jesus que já conhecia o coração dele. E Pedro após reconhecer o seu amor imperfeito, gerado por um coração duro, abre o jogo para Jesus: Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo(Filéo). Ouvindo pela terceira vez a mesma ordem de Jesus: “Apascenta as minhas ovelhas.”
O Senhor Jesus conhece os nossos corações, e apesar de nosso amor imperfeito confia a nós sua obra, suas ovelhas, nos ordenando: IDE E PREGAI O EVANGELHO A TODA E QUALQUER CRIATURA. QUEM CRER E FOR BATIZADO SERÁ SALVO, MAS QUEM NÃO CRER SERÁ CONDENADO.
Ágape é o amor que tem compromisso, que independe de uma recíproca verdadeira. É o amor de Jesus, que morreu por nós em uma cruz para nos salvar da condenação, da morte, por nossos pecados.
Deus os abençoe!
Por Flademir Bernardo

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Casamento e o seu fator dominante

Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante. Eclesiastes 4:10
Dois seres pensantes, independentes, com comportamentos, opiniões, criações, costumes e gostos diferentes. Não podemos esquecer ainda das motivações, dos objetivos, metas e sonhos até então, diferentes. Se amam porém são seres totalmente distintos, altos e baixos, acertos e erros, discussões bobas e banais, tempos felizes com pequenos períodos de ventania. Mas afinal isso é casamento não é mesmo?
Não, existe casamento perfeito!
Todo Homem e toda mulher se casa, no desejo, com sonhos de viverem um casamento lindo, maravilhoso, sem discussões, composto apenas por momentos felizes, como aqueles contos de fadas ouvidas quando criança, se esquecendo do seguinte fato:
Só há casamento quando há a união, logo, para haver essa tão almejada união matrimonial é preciso o homem e a mulher dividir o mesmo teto!
(E disse: Portanto, deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, e serão dois numa só carne Mateus 19:5 ).
E agora?
sei uma coisa, que em meio tantas diferenças de dois seres tão diferentes há uma fórmula para serem prósperos e viverem juntos ano após ano até que a morte os separe ou arrebatamento chegue. Essa formula, esse fator dominante, é DEUS!
em meio nossas diferenças Deus é aquele que traz a equação perfeita e certa, para nosso casamento, Ele traz consigo equilíbrio o respeito mútuo, comprometimento, lealdade, paz, respeito, tolerância, paciência, estratégia para superar as diferenças e a compreensão necessária. Se, seu casamento está passando por tempestade, convide agora para entrar nele o Deus todo poderoso! Deus é aquele cordão de três dobras que irá fortalecer seu matrimonio. O casamento é a instituição criada e estabelecida por Deus, e se você deixar Deus agir ela não irá falir.
EU NÃO CASO COM O SENTIMENTO MESQUINHO DE SER FELIZ, EU CASO NO INTUITO DE FAZER A PESSOA QUE AMO FELIZ!
Casamento é abençoado, a graça de Deus nos ajuda a construir dias melhores.
deixe sua casa firmada na rocha inabalável(DEUS).
 Por Dionatan Oliveira

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

O Poder diabólico dos “Reality Shows” na TV Brasileira

Não porei coisa torpe diante dos meus olhos; aborreço as ações daqueles que se desviam; isso não se apagará a mim. Salmos 101:3.
Cada ano que passa eu fico impressionado com o conteúdo que a televisão Brasileira tem passado para as nossas famílias e filhos. Principalmente os chamados programas intitulados de “Reality Shows”. A Fazenda, BBB,  Estes programas ficam mais ousados cada edição ou sem nenhum pudor nem vergonha. Eu sinceramente fico me perguntando: cadê as autoridades Brasileiras? Quem dizem “controlar a mídia e conteúdo nela contido, para que as nossas crianças não vejam o que não devam”?
Mesmo por curiosidade, ficar diante destes programas é querer se contaminar, pois nada se aproveita nada, ao contrário, entra nos nossos olhos, sobe para a nossa mente, desce ao coração e cometemos pecado. Por mais espiritual que sejamos, impossível sair sem pensar no que acabamos de ver. Ou eu alimento meu homem espiritual ou alimentarei minha carne que por natureza, já clama e geme por estas coisas.
Sinceramente eu te pergunto: O Que aprendemos com estes programas? O que eles tem de utilidade publica? O que meus filhos aprenderão assistindo os mesmos? Porque tanto ibope nestes lixos?
São perguntas que sabemos muito bem as respostas, e que uma vez dita chocam os seguidores e adeptos destes programas. O que me deixa muito triste é ouvir comentários destes programas por pessoas que dizer ser crentes em Cristo Jesus. Dentro do pátio de nossas igrejas, “estes” comentam sobre quem ficou com quem, quem saiu do paredão e detalhes ocultos nos mesmos. Parece cômico, mas é pura realidade o que está ocorrendo.
O Salmista através do texto base desta mensagem, diz: Não colocarei coisa “torpe” diante dos meus olhos, ou seja; pecado algum que venha contaminar minha mente e me fazer pecar.
Tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro,. tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama,. se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai. Filipenses 4:8
Jesus certa ocasião comentou com seus discípulos o quanto eles poderiam se contaminar simplesmente através dos olhos, veja:
A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo teu corpo terá luz; se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso. Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes são tais trevas! Mateus 6:22-23
Eu sinceramente não creio que um crente cheio do Espirito Santo gaste seu tempo diante de tantas aberrações e abominações que tentam passar para as nossas famílias.
O certo virou errado e o errado agora é “certo”, onde vamos chegar desta forma? Brasil rumo a Sodoma e Gomorra.
Isso fede diante de Deus, ainda bem que minha TV tem um botão chamado: Liga/desliga e que nem passo neste horário por este canal, para que porventura meus filhos tenha que ver algo obsceno.
Que nós, Servos de Deus, possamos ter discernimento e saber o que é licito ou não para colocar dentro de nossa casa e diante de nossos olhos. Somos livres e temos total liberdade de escolha, mas as escrituras nos indica o melhor caminho. Cabe a nós aceitarmos e obedecermos para não morrermos espiritualmente.
Eu não colocarei nada de Mal diante dos meus olhos. Que seja esta a nossa oração todos os dias. Deus te abençoe ricamente hoje e sempre e te faça crescer na graça e no conhecimento.
“Em cada um de nós existem três pessoas: a que nós achamos que somos; a que os outros pensam que somos; e a que Deus sabe que somos.”(Leonard Ravenhill)
Pb. Josiel Dias

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Quais são suas motivações para servir a DEUS?

Quais são suas motivações para servir a DEUS?
 “Se não”, fica sabendo, ó rei, que não serviremos a teus deuses, nem adoraremos a imagem de ouro que levantaste.” Daniel 3:18
Vivemos dias onde o crente não pode de jeito nenhum passar por problemas, pois afinal de contas somos servos de Deus e servo de Deus não pode sofrer. Se algum crente passa por algum problema é porque ele cometeu um grande pecado, ou está sendo castigado por não ter dado o dízimo, ou por não ter cumprido alguma normativa de sua igreja. Servir a Deus nos dias atuais é sinônimo de prosperidade, saúde, bens, imunidade a qualquer tipo de enfermidade. A vida do crente desse século deve estar baseada em uma vida de triunfo, caso contrário esse crente não tem FÉ como deveria.
Pessoas que foram doutrinadas desta forma, na primeira adversidade que passam, negam a DEUS. No primeiro desemprego abandonam a igreja, pois para eles o ficar desempregado não é coisa de crente. Paulo mostra que estamos sujeitos a estas adversidades leia com atenção, “Filipenses 4:11-13”
Perguntamos: Quais são nossas reais motivações para servir a DEUS?
E se faltar a saúde? E se faltar o emprego? E se perdermos tudo? E se de repente o médico nos der um diagnóstico que não queríamos? E se alguém que amamos nos abandonar? E se formos traídos? E se formos abandonados? E se formos esquecidos? E se, e se, e se?????…
Todas as vezes que leio o livro do profeta Daniel, principalmente o texto base dessa devocional, vejo que as convicções de Sadraque, Mesaque e de Abdenego estavam bem além de uma vida de triunfalismo, bem além das convicções que vemos nos dias atuais. Meu Deus!!! Como aprendo com estes jovens amigos de Daniel!
Para entender melhor o contexto dessa mensagem, Sadraque, Mesaque e Abdenego estavam sendo condenado por fazer a coisa correta, ou seja, o prêmio por servir a Deus, seria uma fornalha 7 vezes aquecida. Quais foram seus crimes? Não adorar, nem se prostrar diante a nenhum ídolo. Ídolo erguido pelo Rei Nabucodonosor. Foram condenados por fazer a coisa justa, a coisa correta… O rei, ainda antes do veredito final, zomba do DEUS dos jovens judeus, dizendo: Quem é o DEUS que poderá livrar vocês de minhas mãos? Cheios de fé, convictos, os jovens hebreus responderam ao rei zombador:  Se o Deus que nós servimos, quiser livrar de suas mãos, Amém! E se Não, Amém também! Glórias à Deus.
Que coisa tremenda esses jovens têm para nos ensinar! Talvez alguns de nós falariam: “Não é justo se fazer a coisa certa e ainda sermos condenados, perseguidos, mortos.” Cadê o DEUS desses jovens que permite eles serem lançados na fornalha superaquecida? Não é justo Daniel por sua fidelidade também ser jogado na cova dos leões. Daniel 6:16-22
Não é justo José do Egito ser vendido como escravo, sofrer assédio sexual e ainda ser culpado por isso Gênesis 37. Não é justo o mesmo José ficar “esquecido” 3 anos na prisão por um crime que não cometeu. Gênesis 39:1-21. Todos esses exemplos conhecemos o final da história, mas no momento que acontecia, talvez pairasse nas mentes das testemunhas oculares, o sentimento de revolta contra o DEUS deles.
Somos tão incrédulos que às vezes no primeiro aperto, pulamos fora, nem esperamos o agir de Deus que, certamente, mudaria o final de nossa história. Muitas vezes a vitória vem aos 45 minutos do segundo tempo…. Muitas vezes esquecemos Daquele que disse: “Eis que estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos…” Mateus 28:20
 “O homem é tão egoísta que é preciso falar de uma recompensa em outra vida para que ele pratique o bem nesta…”
Para a Reflexão: Se soubéssemos a inexistência do inferno, mesmo assim continuaríamos servindo a DEUS? Quais são de fatos nossas motivações para servi-lo?
Glórias à Deus que Sadraque, Mesaque e Abdenego foram até o fim, convictos de sua FÉ. E no final algo de extraordinário aconteceu. Deus passeava com eles na fornalha. Deus permitiu que o jovem fiel Daniel fosse jogado na cova, mas estava com ele e fechou a boca dos leões. Deus não impediu que José fosse vendido, traído, mas DEUS era com José em tudo o que ele fazia, e o final vemos José sentado no trono governando o Egito.  Independente do que acontecer conosco, devemos estar convictos e firmes na FÉ.
Que possamos dizer todos em uma só voz: Servimos a Deus e ponto final. Se Deus me prosperar   Amém! Se não Amém também. Continuaremos servindo, independente das circunstancias.
Deus abençoe a todos.
Pb Josiel

Grupo quer distribuir livros satanistas em escolas públicas


Grupo quer distribuir livros satanistas em escolas públicas
Em nome do “politicamente correto” e do “Estado laico”, um grupo satanista está anunciando que irá distribuir livros infantis ensinando a adoração a Satanás em escolas públicas. Para ele, trata-se apenas de garantia constitucional da liberdade religiosa.
Os conflitos entre ateus e cristãos sobre a distribuição de literatura em escolas públicas dos Estados Unidos chamou a atenção da mídia. Mas o grupo Templo Satânico, sediado em Nova York, pretende oferecer livros de colorir às crianças que frequentam escolas públicas. Contudo, negam que a intenção seja atrair as crianças para sua religião.
Representantes da cidade de Orlando, na Flórida, disseram que ainda não receberam pedidos formais para a distribuição dos livros, mas que se reservam o direito de revisar todos os materiais que sejam oferecidos aos alunos.
A questão é que muitos grupos cristãos distribuem rotineiramente material bíblico e os satanistas exigem os mesmos direitos. Por isso, inicialmente ativistas ateus reclamaram de “discriminação” e o Conselho Escolar passou a permitir que materiais religiosos de todos os grupos, incluindo ateus, fossem distribuídos aos alunos.
O grupo Templo Satânico tem chamado atenção da mídia por sua luta pelo direito de ser reconhecido em termos de igualdade com todos os demais grupos religiosos. Eles já pediram autorização para colocar uma estátua de Satanás ensinando duas crianças no Estado do Oklahoma. Os adeptos da seita acreditam que Satanás é o “eterno revoltado contra o tirano supremo”, que seria Deus. Também insistem que as escolas públicas não deveriam ensinar religião alguma, pois a constituição afirma o Estado laico.
Os pastores da Flórida já se manifestaram contrários a essa iniciativa. Para eles, esse tipo de literatura é prejudicial para as crianças e a sociedade como um todo e prometem recorrer à justiça para impedir a distribuição. Com informações de Christian Headlines, WVENTV e CBS

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Prefeitura de NITERÓI intimou a PIB de Niteroi por ter em suas dependências uma faixa escrita: "Niterói estamos orando por você!"

É inacreditável, mas a Prefeitura de Niterói  ultrapassou os limites do bom senso.  O documento ao lado  é uma INTIMAÇÃO que um fiscal deu para a Primeira Igreja Batista de Niterói, por ter em suas dependências, isto é, dentro de sua propriedade, uma faixa escrita: "Niterói estamos orando por você!" 

É isso mesmo que você leu! A PREFEITURA DE NITERÓI, intimou a Igreja a retirar a faixa! 

Confesso que a atitude da PIB de Niterói foi uma atitude louvável. Nossos irmãos estavam rogando a Deus pela paz da cidade que vive debaixo de uma violência sem precedentes, todavia, para a prefeitura, a oração dos nossos irmãos não é bem vista e nem bem vinda! 

Pois é,  apesar dos pesares, continuemos orando por Niterói, mesmo porque, não precisamos de faixas para orar pela cidade.

Renato Vargens  

OBS: Quero ressaltar que não acredito que a Igreja tenha sofrido perseguição. O que acho é que o ESTADO não tem que se intrometer numa propriedade privada. A faixa estava intramuros o que na minha opinião legitima o uso dela. Contudo conforme um leitor do BLOG o artigo 295 é claro quanto à autorização de faixas, ainda que em território privado. A Lei 2624 de 2008 autoriza a prefeitura a intimar quem quer que seja, mesmo que a faixa esteja em propriedade privada.

Por Renato Vargens

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Mãe e filha assumem relacionamento homossexual

“Minha mãe ainda é minha mãe. Ela ainda faz coisas normais de mãe: me compra roupas, comida, me diz para fazer a minha cama. Nós apenas também gostamos de fazer sexo uma com a outra”. 
Com essa frase a história de Mary e Vertasha Carter, mãe e filha que assumiram um relacionamento lésbico uma com a outra ganhou destaque no mundo. As leis proíbem a prática de incesto, principalmente pelo fato de relações entre pessoas da mesma família trazerem defeitos para os bebês. “Ambas somos mulheres e obviamente não podemos fazer crianças. Seria diferente se o pai dela a engravidasse e nascesse um bebê com deformidades, mas nós não estamos machucando ninguém. Somos uma minoria nova e tudo o que queremos é que aceitem.” – disse a mãe, Mary Carter. 
A mãe ainda declarou que a atração entre ele e a filha iniciou quando a garota completou 16 anos, mas elas discutiram e decidiram esperar que ela completasse 18 anos para que começassem a fazer sexo. Ela ainda afirmou que elas não tornaram seu relacionamento público para criar polêmica, mas sim para encorajar outras pessoas que estivessem em relacionamentos parecidos. “Queremos que o mundo saiba que amamos uma a outra como mãe e filha e como amantes”.

"Ninguém vai se aproximar de qualquer parente próximo para fazer sexo com ele ou ela. Eu sou o Senhor." (Levítico 18:6)

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Fuja da letargia teológica

Fuja da letargia teológica
Representa uma grande verdade o fato de que o “fazer teológico” não pode ser sintetizado simplesmente à teoria, visto que a práxis teológica é fundamental para o exercício ministerial de qualquer indivíduo. Todavia, ao desenvolver qualquer atividade ministerial sem que haja um amparo teórico, de igual modo, pode ser algo muito preocupante em decorrência de práticas incongruentes, senão inusitadas, que podem surgir. Logo, o estudo teológico fornece amparo bíblico para pensar e agir, embora isso seja desconsiderado por boa parte dos cristãos.É bem verdade que sempre haverá muitos assuntos aos quais não dominaremos plenamente e sempre careceremos de informação e conhecimento, entretanto, é lastimável o índice de letargia teológica que atinge majoritariamente líderes, obreiros e docentes. Por negligência se abrigam nos mais diversos subterfúgios objetivando ocultar sua indolência teológica; supervalorizam rótulos em detrimento de conteúdo. É péssimo, por exemplo, ouvir um “docente” que “briga” pela oportunidade de lecionar, mas que contraditoriamente não é devoto à leitura, ao estudo e a pesquisa. É angustiante ver alguém querer a todo custo ensinar ou pregar sem que o mesmo seja ensinável.
Um determinado dia, em uma determinada reunião de um determinado departamento, alguém lançou uma pergunta genérica, mas que caiu como uma luva em meu coração, despertou minha consciência e alavancou minha ação. A pergunta foi: “qual a sua formação”? A resposta dos presentes foi “o silêncio”. Trocando em miúdos o emissário que interrogou após certo período de tempo foi o mesmo que concluiu: “quem não tem cão caça com gato”. Confesso que nunca me esqueci daquela reunião. Embora não fosse pessoalmente letárgico, mas, um autodidata por convicção, senti pelo “cutuco” a necessidade de buscar a qualificação teológica necessária para o exercício do ministério que a mim foi proposto (Rm 12.7), quando então me afastei de algumas funções para me dedicar aos estudos teológicos.
Hoje olho para trás e ao mesmo tempo em que agradeço a Deus pela oportunidade de ter trilhado boa parte do caminho, lhe peço forças para continuar caminhando em busca do saber teológico que inevitavelmente me conduzirá cada vez mais para perto de uma visão límpida de Deus e do seu Reino. Aceito a exortação bíblica que Paulo fez a Timóteo: “Até à minha chegada, aplica-te à LEITURA, à exortação, ao ENSINO. Não te faças negligente para com o dom que há tem ti….” (1 Timóteo 4.13,14).
É provável que alguns leitores classifiquem esta postagem sob o marcador da arrogância, quando deveriam classificá-la sob o manto da consciente reflexão. Logo, é comum que o insensato se ofenda facilmente ao ser flagrado em sua letargia, ainda mais quando esta passa a ser denunciada, todavia, aquele que é sábio sempre será motivado pelo sincero desejo de aprender e de buscar aperfeiçoamento (Pv 9.9).
Paulo nos orienta a ser imitadores dele como ele era de Cristo (1 Co 11.1), porém, não quero falar de Paulo, mas de Cristo, a quem, por inferência devemos imitar. O texto lucano registra coisas interessantes a respeito de Jesus, como por exemplo, que Ele quando ainda em sua fase tenra da vida, se fortalecia e se enchia de sabedoria (Lc 2.40); que Jesus não crescia somente em estatura e graça, mas também em sabedoria (Lc 2.52). Que exemplo digno de ser imitado!
Ainda sobre os registros do historiador Lucas, cabe destacar a informação que ele traz a respeito das qualificações exigidas para a escolha dos diáconos a serem encarregados do serviço na igreja: “Mas, irmãos, escolhei dentre vós sete homens de boa reputação, CHEIOS DO ESPÍRITO e de SABEDORIA, aos quais encarregaremos deste serviço” (Atos 6.3).
Logo, estou plenamente convencido de que ao abraçar o ministério, a cada um de nós proposto, urge inevitavelmente, respeitadas nossas limitações diante do progressivo aprimoramento, a necessidade de dedicação (Rm 12.7) e de crescimento, não somente na Graça, mas também no conhecimento (2 Pe 3.18), objetivando, inclusive, estarmos sempre preparados para responder a todo aquele que pedir razão a respeito da esperança que há em nós (1 Pe 3.15).
Enfim, sou impulsionado a crer, sem desprezar as demais práticas (oração, jejum, etc.), que a formação teológica é a responsável pela relevância das atividades atinentes ao ministério, seja ele exercido dentro ou fora da igreja, pois fornece subsídio à ação pessoal e ministerial. Não há prática sem teoria, ao menos, boa prática sem boa teoria, e por boa prática, entenda-se aqui aquela que está devidamente fundamentada nas Escrituras. Portanto, sem amparo teológico, todo e qualquer ministério se torna deficiente e limitado (2 Tm 2.15). É possível ainda que alguém seja tentado a argumentar contra a teologia, contudo, o objeto de estudo da teologia não é outro, senão a própria Palavra de Deus, a qual é o seu livro texto. Portanto, fuja da letargia teológica. Estude a Bíblia, objetivando crescer no conhecimento do Senhor (Os 6.3).
Fraternalmente em Cristo,
Ângelo dos Santos Monteiro

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Com que frequência você lê a Bíblia? Todos os dias? Duas vezes por semana? Só domingo, na igreja?

Com que frequência você lê a Bíblia? Todos os dias? Duas vezes por semana? Só domingo, na igreja?
Oh! quanto amo a tua lei! É a minha meditação em todo o dia. Salmos 119:97
A Bíblia sem sombra de dúvida é a Palavra de Deus, portando devemos lê-la todos os dias, assim como o nosso corpo não sobrevive sem a devida alimentação, nossa alma também precisa ser alimentada espiritualmente, pois ela tem fome e sede de Deus. A Palavra de Deus nos fortalece, a Palavra de Deus nos edifica, nos alimenta, mata a nossa sede. Salmos 42:2
“O vigor de nossa vida espiritual está na proporção exata do lugar que a Bíblia ocupa em nossa vida e em nossos pensamentos. Faço esta declaração, solenemente, baseado na experiência de cinquenta e quatro anos.” George Muller.
Falamos com Deus pela a oração e Ele fala conosco através de sua Palavra, não podemos esquecer-nos disso. Se digo que sou amigo dele devo ouvi-lo através de sua Palavra.
“Deus não é religião é relacionamento; e Relacionamento tem que haver interação”
Quanto mais contato eu tenho com aquele que chamo de amigo, o relacionamento na amizade aumenta, e para mantermos esse relacionamento é preciso alimentá-lo através da conversa diária. Eu falo, eu ouço. Como eu posso dizer que sou amigo de alguém se não tenho nenhum contato com essa pessoa? Como posso chama-lo de amigo se eu não o busco? Muitas pessoas dizem ser amigas de Deus, mas não conversam com Ele todos os dias, nem O deixa falar através da Palavra. Às vezes ouvimos tantas pessoas, muitas delas estranhas, mas não paramos para deixar Deus falar conosco e ouvi-Lo.
Quando a Bíblia não funciona?
Quando a uso apenas quando me convém; quando a tenho apenas como um amuleto; quando carrego em baixo do sovaco para mostrar que sou religioso. Quando abro no Salmo 91 e ponho em cima da estante, por pensar que assim todo mal fugirá de minha casa. Engana-se quem pensa que o diabo tem medo de salmo algum, deixa eu te falar algo:
O inimigo tem conhecimento da palavra, o diabo não tem medo do livro no sentido restrito, nem tão pouco ele tem medo de salmo algum, pois foi justamente parte deste texto que ele recitou quando tentava a Cristo. Veja:
E disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te de aqui abaixo; porque está escrito: Que aos seus anjos dará ordens a teu respeito, E tomar-te-ão nas mãos, Para que nunca tropeces com o teu pé em alguma pedra. Mateus 4: 6 Esse texto está relacionado ao Salmos 91:11-12.
Como vimos acima o diabo não teme o livro, mas o que ele teme é “o efeito que as palavras desse livro fazem nas vidas das pessoas que leem todos os dias”. Por isso ele tenta, o tempo todo, fazer com que você não leia, não medite, nem tão pouco faça o que escrito lá está. Você já percebeu quantas dificuldades temos quando fazemos um propósito de estudar a Bíblia diariamente? Percebes que temos tempo para tudo, menos para estudar a Palavra de Deus?
“Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.” Hebreus 4:12.
Não deixe para meditar na Palavra de Deus apenas aos domingos. Organize-se e perceberás que existe tempo, mas administramos muito mal.
Deus quer falar contigo agora! Corra abra sua Bíblia; mas antes faça a seguinte oração: “Senhor ajude-me através do seu Santo Espírito ouvir o que tens preparado para mim neste dia. Fala que teu servo ouve Senhor no nome de teu Filho Amado Jesus Amém! … Em seguida ouvirás Sua voz nas páginas das escrituras.
“Eu amo a Bíblia, eu leio-a todos os dias e, quanto mais a leio tanto mais a amo. Há alguns que não gostam da Bíblia. Eu não os entendo, não compreendo tais pessoas, mas, eu a amo, amo a sua simplicidade e amo as suas repetições e reiterações da verdade. Como disse, eu leio-a quotidianamente e gosto dela cada vez mais”. Dom Pedro II
“A alma jamais pode vaguear sem rumo, se tomar a Bíblia para lhe guiar os passos.” Napoleão Bonaparte
Deus te abençoe ricamente.
Pb Josiel Dias

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

O M.S.E. estará presente


Qual tem sido seu pensamento?

Qual tem sido seu pensamento?
O Senhor conhece os pensamentos do homem, e sabe como são fúteis. Salmos 94:11
Desafio você a um pequeno teste: tente ficar um minuto sem pensar em nada, eu disse, absolutamente NADA, duvido que consigas. Outro dia tentei dar uma pequena pause em meus pensamentos, creio que consegui alguns segundos, mas sem perceber já estava pensando e dizendo em minha mente: Será que passou um minuto? Percebi então que já havia quebrado o meu silêncio mental.
Dos 100% que pensamos durante o nosso dia, grande parte são bobagens, são coisas fúteis, são maldades, discórdias, intrigas, porcarias, impurezas, ou seja, são coisas negativas. “O Salmista diz que Deus conhece os nossos pensamentos e que são fúteis” Salmos 55:2, Romanos 1:21, Mateus 15:19, Isaías 59:7,
Sabes quando me sento e quando me levanto; de longe percebes os meus pensamentos. Salmos 139:2
O que temos pensado diariamente?
Imagine se todos soubessem o que estamos pensando. Imagina quando você chega na igreja e se aproxima aquela pessoa que você não vai muito com a cara dela. Imagine se todos pudessem ver o que passa em sua mente quando o pastor demora em seu sermão, ou o culto não acabou no horário normal. Imagine se outros pudessem decifrar o que passa em sua mente, quando te fazem uma pergunta e tu responde apenas para agradar aquele que te perguntou algo.
Embora ninguém tenha esse dom de ler mente aleia, eu gostaria de lembrar a você que DEUS conhece, Deus vê, Deus decifra, Deus sabe o que andas pensando. Provérbios 15:26, Isaías 55:7, Salmos 139:2
Querendo ou não queridos e amados irmãos, somos diariamente bombardeados por maus pensamentos, grande parte desses pensamentos NEGATIVOS, como: “Não vai dar certo, Não consigo. Mas, saiba que sobre todos eles temos controle de “interrompê-los ou alimentá-los”. Você age de acordo com o que se alimenta.
Somos senhores de nossa mente, somos donos e temos total autoridade sobre ela. Somos resultado do que pensamos. Não adianta pensar uma coisa e falar outra. Não adianta defender algo falando, mas no interior, em seu coração e mente, a realidade é bem diferente. Não adianta alimentarmos maus pensamentos e querer colocar a culpa no diabo com pretexto de que esses maus pensamentos é coisa dele. Você tem o domínio sobre sua mente, não alimente porcaria.
“Mente vazia de DEUS, oficina do diabo”?
O diabo não é onisciente, nem tão pouco pode decidir o que você deva pensar, Ele não sabe o que você e eu pensamos, mas portanto, contudo, todavia ele se utiliza de nossas fraquezas de nossas falhas de nossas brechas quando alimentamos e enchemos a mente de porcaria. Daí o sentido da frase acima, mente vazia de Deus oficina do diabo.
Mente cativa a Palavra de DEUS
Encha-se de Deus. Medite na palavra, pense nas coisas de cima, diariamente, e perceberás a diferença que isso fará em sua vida.
Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite. Salmos 1:2
Meditar é o mesmo que pensar. Uma forma de ocupar positivamente os nossos pensamentos é meditar na Palavra de Deus. O Salmista diz o homem que age assim é um Bem aventurado. Bem-aventurado significa FELIZ. Feliz somos nós quando ocupamos nossas mentes com as coisas de DEUS. Por isso que o Apóstolo Paulo em dois textos, nos dá uma dica tremenda sobre o que deve ocupar as nossas mentes dia e noite, vejamos: “Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra;” Colossenses 3:2
Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai (Filipenses 4:8)
O que você pensa sobre isso? O que pensaremos daqui por diante? Se agirmos assim sabe o que o Senhor pensa sobra nós?
“Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais.” Jeremias 29:11
Deus em Cristo Jesus nos abençoe ricamente
Pb. Josiel Dias

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Feche os olhos e fale com o Pai

Feche os olhos e fale com o Pai.

O desejo de falar com Deus deve ser latente na vida e coração de cada cristão. Não há forma de dizermos que somos amigos de Deus, se não levarmos uma vida ativa de oração. Jesus ensinou seus discípulos a orar, mostrando que a melhor forma de fazê-lo é em secreto, na profunda e íntima relação de um pai com seu filho.
“Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente.”
Mateus 6:6
Em meio às dificuldades e tribulações, já senti por diversas vezes a doce Paz invadindo minha alma, após fazer uma oração. Não significa que tudo se resolva de imediato, mas, nada se compara com a experiência de fechar os olhos para os problemas e aflições desta vida, e abri-los em um mundo mais real que o invisível – o mundo espiritual.
É ali, naquele lugar único, que falo com o Pai. E quando fecho meus olhos sinto Sua presença. E ao sentir que minhas preocupações se desvanecem, percebo que rompi a barreira do mundo natural, onde a comunhão entre o finito e o imortal torna-se tão real, que desejaria permanecer assim para sempre, se não tivesse que voltar aos afazeres do mundo natural.
Durante o tempo de oração, começo a entender que os problemas desta vida não podem ofuscar a imensa  paz que sinto falando com o Deus que me permite chamá-lo de Pai. Sei também, que por mais que tente, não conseguirei explicar tudo o que acontece no meu jardim secreto às pessoas.
Farei de tudo para levar as pessoas em minha volta a experimentar o mesmo, mas dirão que estou louco. Que não mereço estar nos seus braços (do Pai), que não sou tão santo para merecer um minuto em seu regaço.
Mas, isso já não importa. Somente nós (o Pai e eu) sabemos que não são apenas minutos, são momentos que parecem horas, pois eles são contados na dimensão do espiritual.
Chego a dizer: – Pai, eu queria poder transmitir tudo aquilo que sinto quando estou contigo. Gostaria de olhar nos olhos dos meus irmãos, amigos e familiares, da mesma maneira que o senhor me olha. Pois em seu olhar existe amor, capaz de tirar a minha dor. Com o gesto de seu abraço sinto que me traz para perto, que me tira dos desertos, e me faz caminhar por este mundo sem perder de vista o lugar de nossa comunhão.
Pai, quando fecho os olhos para este mundo, eu descubro outro mundo, é tamanha a alegria que eu sinto a cada dia, que não posso estar distante, só penso em estar em sua companhia.
Sei que no mundo também há momentos de harmonia, mas sem sua presença, nenhuma riqueza ou felicidade me bastaria. Pois hoje posso caminhar por este mundo sem duvidar, pois estou seguro, que ao fechar os meus olhos, tenho um Pai a me cuidar.
Obrigado Pai.
Deus abençoe,
Rodrigo Faria

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Inveja, um Mal Que Destrói a Alma

Inveja, um Mal Que Destrói a Alma.

Acho muito interessante meditarmos sobre esse tema. Pois, quantas vezes essa seta do inimigo tem nos atingido e encontrado espaço em nosso coração nos autodestruindo, e destruindo nossos relacionamentos e até mesmo causando divisões em nossas igrejas.
A inveja é provocada por um sentimento de desgosto, de pesar, pelo bem  ou felicidade de alguém, levando o invejoso a desejar intensamente o bem alheio. Claro que você deve conhecer ou ter ouvido falar de alguém que nunca está contente com o que tem e sempre se compara aos outros, afirmando que o que os outros possuem é sempre melhor.
Pois é, essas pessoas estão alojando em seus corações a seta da inveja. O invejoso nunca vibra com o sucesso do próximo. O invejoso busca erros onde muitas vezes não tem. São pessoas amarguradas, insatisfeitas, mal-amadas, carnais. (I co 3:3)
A pessoa invejosa quando vai ao culto, não vibra com a palavra do pregador, não se alegra em adorar ao Senhor, ao contrário, ela busca erros e diz: Você viu o que o pregador fez? Percebeu como ele gritava? Hum… O ministro de louvor estava muito empolgado para o meu gosto, mas parecia estar em uma casa de shows mundanos. A pessoa com inveja no coração não se alegra com a bênção do Senhor, não gosta de ver o próximo brilhar e faz o que for possível para apagar esse brilho.
A inveja tem levado igrejas e ministérios a divisão. Tiago em sua carta diz: “Pois onde há inveja e sentimento faccioso aí há confusão e toda espécies de coisas ruins”. (Tg 3;16).
A inveja abre a porta para Satanás entrar, criando através de sua vida discórdia, confusões e competições. A pessoa que aloja a inveja em seu coração tem dificuldade para falar bem, para abençoar o próximo. Ele não suporta o brilho dos outros, pois vive em trevas.
Você conhece a história da cobra e do vaga-lume?
Era uma vez uma cobra que começou a perseguir um vaga-lume que só vivia a brilhar.
Ele fugia rápido com medo da feroz predadora e a cobra nem pensava em desistir.
Fugiu um dia, dois dias e nada… Ela não desistia.
No terceiro dia, já sem forças o vaga-lume parou e disse à cobra:
- Posso te fazer três perguntas?
-Não costumo abrir esse procedente para ninguém, mas já que vou te comer mesmo pode perguntar…
-Pertenço a sua cadeia alimentar?
-Não
-Te fiz alguma coisa?
-Não
-Então por que você quer me comer?
- Porque não suporto ver você brilhar.
Que tipo de pessoa é você, cobra ou vaga-lume?
Seja vaga-lume, brilhe, voe alto. Mas não se esqueça tudo vem do Senhor e é para o Senhor. Se alegre com a vitória do próximo, abençoe, profetize e estará trazendo sobre si as mesmas bênçãos. Pois aquilo que o homem ceifar, isso também colherá.
Deus nos abençoe!

Elder Rangel

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Você é a menina dos olhos de Deus

DEUS Abrigo e proteção
Guarda-me como à menina do olho; esconde-me debaixo da sombra das tuas asas, Salmos 17:8
Nosso olho é uma das partes do nosso corpo mais sensível, mas também bem mais planejada, com defesas naturais que muitas das vezes desconhecemos. O próprio ato de piscar tem entre suas funções proteger o olho da invasão de intrusos [ciscos e argueiros] e perigos constantes externos. Intrusos estes que vem para machucar, nos fazer chorar, quem sabe até vem para nos cegar.
 “Menina dos olhos”
“Porque assim diz o Senhor dos Exércitos: Depois da glória ele me enviou às nações que vos despojaram; porque aquele que tocar em vós toca na menina do seu olho.” Zacarias 2:8
O autor Charles Spurgeon em seu livro o Tesouro de Davi, faz um comentário ao versículo 8 do Salmo 17, que diz assim: “Parte alguma do corpo é mais preciosa, mais delicada e mais cuidadosamente guardada do que os olhos, e a parte dos olhos que deve ser guardada com maior cuidado é a parte central, a pupila, ou a “menina dos olhos”.
O sábio criador colocou os olhos num lugar bem protegido. Estão cercados por ossos que protegem como os montes de Jerusalém. Além disso seu grande autor os circuncidou com muitas túnicas interiores, além dos cercados que são as sobrancelhas, as cortinas que são as pestanas e as cercas que são as pálpebras; além disso tudo, Ele deu aos homens um valor tão grande para com seus olhos e uma apreensão de perigo tão instantânea, que parte alguma do corpo é mais fielmente cuidada do que o órgão da visão”.
Davi usa nesta sua suplica duas palavras para definir sua fragilidade e dependência; fala da menina dos olhos, e em seguida o desejo de estar escondido, protegido na sobra do Onipotente Deus. Davi reconhecia o perigo constante que os assediava e sendo assim suplica esta proteção Divina.
Somos preciosos, frágeis e sensíveis e por isso somos bem protegidos por Deus dos ataques externos que diariamente vem em nossa direção. Isso é tremendo pois Deus tem sido o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia. Salmo 46:1
“A sombra das asas”
“Sombra das asas” podemos traduzir como: De baixo de…. Isso se chama “Segurança” Na sombra das asas estamos guardados, protegidos de qualquer perigo, não há melhor lugar para se esconder do que a sombra do Onipotente.
“Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas te confiarás; a sua verdade será o teu escudo e broquel. Salmo 91:4
Quem já foi na roça e viu uma criação de galinhas percebe o cuidado e proteção que as galinhas tem com seus pintinhos. Atreva-se mexer nos pintinhos com a galinha por perto. Logo nos primeiros dias os pintinhos são alvos de aves de rapinas como gaviões, carcarás e outros animais como cobras lagartos.
Interessante como a galinha os protege. Ela desenvolve um carcarejo e quando percebe qualquer perigo aos filhotes ela faz esse barulho e todos correm para baixo de suas asas.
Se está frio os pintinhos correm para baixo das asas, se está calor, faz o mesmo, correm para a sua “proteção”. Isso é maravilhoso!
Jesus usou a galinha como uma analogia para demonstrar o cuidado de Deus para com seu povo, mesmo assim Israel havia rejeitado essa proteção, vejamos:
“Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! Quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste!  Mateus 23:37
Somos felizes por sermos amados e guardados por Deus, mas somos indefesos e frágeis longe dEle. Se nos afastamos estamos correndo grande perigo de sermos alvo do cruel inimigo. Todos os dias Deus tem buscado agregar pessoas, mas muitas vezes estes, mesmo sabendo do risco e do perigo que correm, se aventuram longe DELE.
Sinta-se amado, protegido guardado por DEUS isso não tem preço, glórias a Deus por essa realidade em nossas vidas.
Deus em Cristo Jesus continue a nos abençoar. Amém!

Josiel Dias

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Coisa espantosa e horrenda se anda fazendo na terra

Coisa espantosa e horrenda se anda fazendo na terra

 Coisa espantosa e horrenda se anda fazendo na terra. Jeremias 5:30
Dai voltas nas ruas de Jerusalém, e vede agora; e informai-vos, e buscai pelas suas praças, a ver se achais alguém, ou se há homem que pratique a justiça ou busque a verdade; e eu lhe perdoarei.
Com esta palavra começa a denúncia do profeta Jeremias contra Israel no capitulo 5 de Jeremias. Israel estava vivendo um período negro e sombrio tanto como nação como no espiritual. Eu diria uma degradação total, apostasia era, nesse período, a marca registrada dessa nação.
 Aqueles que estavam para guiar o povo, julgar os pobres e fazer justiça; simplesmente ignoravam a reta justiça e julgavam com subornos e assim tornaram-se juízes completamente corruptos. Toda a Nação de Israel havia se prostituído com os ídolos pagãos.  Deus não estava se agradando de nada, digo absolutamente de nada em Israel.
 Perguntamos: Deixaria Deus de castigar uma nação como esta? Interessante que esse mesmo quadro caótico vemos também em Miquéias Capítulo 7. A denuncia de ambos os profetas, teria o mesmo contexto; a degradação moral e apostasia espiritual de Israel.
Para Miquéias a coisa tava tão ruim, que até entre os irmãos [família] era “irmãos caçando irmãos”. Miquéias até compara que o melhor deles é como os espinheiros. Imagine a cena: Se o melhor entre eles era como um pé de espinho, imagine o pior deles? Apostasia total da nação chamada, escolhida para ser referencia entre as demais.
No novo testamento em Romanos Capítulo 1, o Apóstolo Paulo também fala da degradação e depravação humana entre os gentios. O que eles [os gentios] na época do apóstolo Paulo faziam “fedia nas narinas de Deus”. Tanto no antigo testamento como já na nova aliança [Novo Testamento] vemos a humanidade se distanciando cada vez mais de Deus.
“E os dias de hoje, como caminha a sociedade hem?”
Quando lemos esse quadro caótico acima, percebemos que temos nos dias de hoje muitas coisas em comum não é mesmo?  Apostasia, Corrupção, Deus sendo deixado de lado, Consumismo, Triunfalismo, Evangelho profanado, a família sendo cada vez mais destruídas; não temos dúvidas em dizer:
“Coisa espantosa e horrenda se anda fazendo na terra”
Hoje tramitam em nosso País “Leis contra a Família”, Leis a favor da legalização de todas as drogas, Leis que aprovam o ABORTO. Leis que querem legalizar e profissionalizar a prostituição. Leis para que sejam extinto o dia das Mães e o dia dos Pais. São Leis que vão totalmente contra aos princípios Cristãos. Só a misericórdia de Deus em nossas vidas. O que é certo virou “errado” e o que é errado agora é tido como “certo“.
Caminhamos para o CAOS?
 Profecias bíblicas apontam que todo esse caos que vemos não só em nosso País, mas em toda humanidade apontam para o retorno de Cristo. Jesus voltando está.
Eis que presto venho: Bem-aventurado aquele que guarda as palavras da profecia deste livro. Apocalipse 22:7
Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa. Apocalipse 3:11
A terra geme com dores de PARTO  Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora. Romanos 8:22
Mas devemos continuar firmes na esperança da volta de Cristo. Por esses dias a trombeta soará e Jesus aparecerá em Glória com os seus Anjos para arrebatar sua Noiva [Igreja]. Será que estamos prontos? Maranata ou Misericórdia?
Maranata Ora vem Senhor Jesus.
Pb Josiel Dias

domingo, 7 de setembro de 2014

O pregador e o anel

Chegou o grande e memorável dia! Os cristãos de uma determinada comunidade eclesiástica esperavam ansiosos pelo final de semana no qual ocorreria o congresso “Fogo, Poder e Glória para as Nações”. Entre os convidados para “abrilhantar” o evento estava, nada mais nada menos que ele, o Conferencista Intergaláxico “Laodicéio Simonista”.
O horário marcado para o início da abertura do evento se aproximava, e a multidão afluía para lá, ansiosa para ouvir aquela cansativa e previsível série de jargões e frases de efeito, mas que, apesar disso, leva sempre a multidão de incautos ao frenesi.
Depois de 559 “louvores”, dos mais variados tipos e modos, o Conferencista Intergaláxico Laodicéio Simonista assume o palco! Opsss…, o “púlpito”. Entre a platéia estava ele, o sempre crítico e cauteloso, o irmão “Beréio Metanóia”, que atentamente observava a tudo que ocorria em sua volta.

Enquanto Laodicéio proferia seu discurso, que em nada cativava a Beréio, este o observava atentamente; não o seu discurso, pois sempre ouvia outros pregadores proferirem coisas do mesmo tipo, mas Beréio teve sua atenção roubada pelo balançar das mãos do “pregador” onde em um dos dedos estava um grande e chamativo anel.
Ao final da “preleção”, depois de duas horas de: “levante a mão”… “vira pro lado”… “olha pra cima”…. “pisa na cabeça….” “sapateia…” “diga glóriaaaaa”, “cutuca teu irmão…” “prefetiza…”, etc. Beréio espera Laodicéio descer do palco para lhe fazer uma pergunta, e assim o diálogo inicia:
- (Beréio): Paz irmão…
- (Laodicéio): Pois não….
- (Beréio): Percebi que o senhor usa um belo anel em um de seus dedos… percebi ainda que se trata de um anel de formatura (embora fosse uma imitação)… e pelo que posso perceber me parece ser daqueles que usam os bacharéis em teologia. Portanto, gostaria de saber em qual seminário ou faculdade o senhor estudou?
- (Laodicéio): Bem….., bom………, aliás……., é queeee….. na verdade, não é bem assim que eu fiz faculdade de teologia, mas tenho uns cursos aí sabe…..
- (Beréio): Que cursos? Qual seminário? Qual faculdade?
- (Laodicéio): Fiz um curso básico de teologia na igreja, não consegui terminar por causa de minha agenda sempre lotada, mas fiz umas dez matérias…
- (Beréio): Hã, pensei que o senhor fosse formado em teologia.
- (Laodicéio): Mas sou, NÃO TE FALEI QUE FIZ O CURSO BÁSICO, e tem mais, ainda que não tivesse feito esse curso básico, sou aluno da Escola Bíblica Dominical há dez anos… então passei a usar este anel, pois sabe como é né, senão o povo não me daria muito crédito; o povo não filtra o que ouve, mas se move pelo que vê. Aparência é tudo querido, aprenda comigo! Mas não sou o único não, tenho uns amigos conferencistas que também fizeram um bacharel pelo correio com duração de seis “longos” meses e obtiveram o título. Veja bem querido Beréio, foram longos seis meses que eles “estudaram” pelo correio… teve um que em virtude de sua agenda concorrida, a esposa até ajudava ele a preencher os questionários do curso; veja quanto sacrifício, portanto são mais do que merecedores para usar um desses belos anéis…
- (Beréio): Bacharel em Teologia em seis meses? Teve TCC, pelo menos?
- (Laodicéio): TCC? O que é isso?
- (Beréio): Deixa pra lá, esquece! Mas voltando ao assunto referente a EBD, então pelo menos lá o senhor deveria ser um daqueles alunos assíduos, que só faltava por motivo de força maior, não é verdade?
- (Laodicéio): Bemmmmm…. assíduo, assíduo, assim…. daqueles “beemmm…” assíduos que nunca faltam, eu não era não. Ia umas duas ou três vezes por trimestre. Hoje não vou mais, até porque já virei conferencista e com meu vasto conhecimento não preciso mais, afinal de contas, isso seria muita humilhação, um conferencista intergaláxico como eu estar sentado nos bancos da igreja para ouvir um professor que às vezes sequer tem um curso de teologia.
- (Beréio): Desculpe pastor, mas acho que você deveria deixar esta ostentação de lado e tirar esse anel do dedo, pois, o anel de formatura é algo que possa ser usado por alguém que realmente mereça. No demais o senhor em sua prolongada apresentação, se autodenominou como Bacharel em Teologia, logo subentende-se que fosse um teólogo com formação acadêmica. Conheço muitos homens que de fato são teólogos, que possuem formação acadêmica e um invejável currículo, que frequentaram boas e sérias faculdades ou seminários e que em decorrência disso, depois de anos de estudo, obtiveram seu merecido diploma de graduação em Teologia, contudo, estes não fazem propaganda de si mesmos, nem sequer usam esse anel que o senhor usa – e poderiam fazê-lo – e só se identificam como teólogos quando lhes é questionado sobre o assunto.
O irmão Beréio prossegue….
- (Beréio): Olha irmão, eu entendo que, assim como médico é aquele que cursou medicina; engenheiro é aquele que cursou engenharia; matemático é aquele que cursou matemática; pedagogo é aquele que cursou pedagogia……. o teólogo, no uso estrito e específico da palavra, é aquele que iniciou e concluiu com êxito uma graduação em teologia, contudo, me parece que esse não é o seu caso, embora você encha o pulmão para se designar de tal forma.
O conferencista Lodicéio em vez de ficar desconcertado, ficou extremamente irado e apelando começou a retrucar Beréio: “EU SOU O UNGIDO” e ai de você se tocar em mim…. você está afrontando um UNGIDO e Deus vai pesar a mão em você….
… assim a história poderia prosseguir….. um conto que embora fictício, revela o retrato da mais pura realidade que tão de perto nos cerca pela presença de homens presunçosos.
MORAL DA HISTÓRIA: “Quem menos tem para dar, é quem mais quer mostrar”!
… e assim termina a eufêmica sátira de “O pregador e o anel”.

Por Ângelo dos Santos Monteiro

Feliz Dia da Independencia


sábado, 6 de setembro de 2014

Você é um pastor por amor e vocação ou pelo salário?

É angustiante passar uma vida toda envolvido na obra de Deus, nos negócios de Deus, cuidando da seara de Deus e no final de tudo perceber que nunca tive parte “com” Ele nem O conheci. Como o irmão mais velho do filho pródigo que administrava e gerenciava todos os bens do Pai, mas desconhecia o transcendente amor do Pai. É também frustrante descobrir que, aquilo que reputávamos como virtudes espirituais, possam, com o passar do tempo, se não vigiarmos, transformarem-se em enfermidade espiritual.
Não se esqueça que muitos líderes tem adoecido diante da “Glória” que o ministério pode proporcionar. Lúcifer (Latim: Lucem Ferre – Portador de Luz) tornou-se satanás (Hebraico: Sha’ Tanadversário) exatamente diante da Glória de seu ministério. Entendemos, então, que é em meio às situações gloriosas que o ministro pode ser acometido dos surtos mais horrorosos.
Um grande exemplo que podemos citar é a competição ministerial. Um espírito maligno move alguns ministros a entrarem nesta disputa de quem é o melhor, em qual templo Deus habita, qual o maior ministério, o mais conhecido, o que tem maior tempo de visibilidade televisiva,  o templo mais luxuoso ou quem paga melhores salários aos seus pastores. Há algum tempo atrás esta rivalidade era camuflada, mas agora é explícita, em rede nacional. Não bastando seus desvarios, induzem os membros a participarem de seus desequilíbrios.
Por outro lado temos aqueles que fugiram do espírito de competição e escolheram trilhar um caminho, digamos, mais espiritual.
Afirmam consigo mesmo:
“- Bem, tentei de tudo, não consegui destaque, não sei fazer mais nada a não ser o serviço para o Reino, ainda que não tenha vocação terei um bom salário”.
Pode parecer um absurdo, mas infelizmente podemos estar correndo um sério risco de estarmos sendo “pastoreados” por  um  “não vocacionado”, um “profissional da fé”. Se faz Pastor, não pelo amor à Obra do Senhor, não pela vocação do Espírito Santo, mas simplesmente como um ocupação empregatícia.
Em minha jornada ministerial conheci um tesoureiro que por muitos anos amargava este encargo. Segundo ele próprio foram anos enclausurado em um cubículo dia após dia em uma vida rotineira de receber as ofertas e fazer os registros das entradas e saídas bem como testemunhar as muitas irregularidades nos subterrâneos.  Não tinha vida espiritual de comunhão como os demais membros da igreja. Não tinha autorização de cultuar e nem de participar da Escola Bíblica Dominical. A gota que transbordou seu limite de abnegação foi o dia em que o pastor da igreja ministrou um ensino sobre como gerenciar as coisas do Senhor. O tesoureiro percebeu que o ensino depunha enfaticamente contra a administração praticada pelo próprio pastor que palestrava. Ao término do dito estudo, o tesoureiro se aproximou do pastor e perguntou:
“ – Que bom pastor, vamos agir então conforme o teu estudo daqui para frente?”
Ao que o pastor respondeu:
“ – Esqueça tudo o que eu falei no estudo, continue fazendo como sempre”.
Entenda-se “como sempre”:
Financiando gastos de parentes;
“Gratificações” para familiares
Distribuindo salários para a, b, c, etc;
Gastos pessoais abusivos com notas em nome da igreja
Etc…
Nosso amado irmão tesoureiro entrou em crise.
Todo pastor deve ter um salário que lhe dê condições de viver “dignamente” e não “regaladamente”, isto é bíblico.
Outro líder, em meio a uma reunião ministerial, frente a alguns problemas de alguns membros, desabafou diante de todos os presentes:
“ – Eu não aguento mais, só continuo como pastor por causa do salário!”.
Isto é deplorável!
Isto pode acontecer com pastores, missionários, aqueles que trabalham em escritório de igreja, em agências missionárias; depois de um tempo fazendo este serviço como um trabalho, um emprego, e não como algo espontâneo, a tendência é perder a sensibilidade e aquela impressionabilidade e alegria, porque eles não fazem outra coisa, a não ser cumprir aquela profissão como um emprego, um vínculo empregatício. O que deveria ser feito pelo coração, por vocação, virou um contrato, um serviço, um peso, um fardo insuportável.
O final destes amados irmãos que foram “empregados” da igreja é entrar em um abismo de completa separação de tudo o que seja relacionado a Deus, culto, gente, pobres, espiritualidade  e evangelho. Quem os vê de fora os admiram, entretanto estão mortos no serviço de Deus.
Sei que muitos lerão este simples artigo e se identificarão com aquilo que o Espírito Santo me impulsionou a escrever. Amados, não deixem que o conforto de um “salário” vos faça perder a salvação e a alegria de servir ao Senhor com amor e alegria.
Não permita que o dinheiro transforme o “Sacro Ofício” em um sacrifício.
Em amor, Jesus os abençoe.
Por Armando Taranto Neto

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Não preciso estudar a Bíblia pois o Espírito Santo me ensina… Será?

Não preciso estudar a Bíblia pois o Espírito Santo me ensina… Será?

Existe no Brasil uma igreja com expressivo número de membros, que por questão de ética o signatário irá se esquivar da responsabilidade de nominá-la, a qual é terminantemente contra o estudo da Bíblia. Sua liderança alega e seus membros compartilham do mesmo pensamento, que o Espírito Santo é quem ensina todas as coisas, e, portanto, segundo eles, o exame minucioso das Sagradas Escrituras em forma de estudo é terminantemente desnecessário. Lamentavelmente, este também é o pensamento de alguns cristãos que estão listados no rol de membros de nossa denominação.
É bem verdade que o Espírito Santo de fato orienta nossa vida de forma ampla. Inclusive, é ele quem nos direciona pelo caminho da verdade, quem nos consola diante dos dissabores inerentes a esta vida terrena, quem nos concede dons, etc., entretanto, apegar-se a estes fatos ou a algum texto bíblico isolado e extraído fora de seu contexto para em autodefesa justificar a negligência pessoal em relação ao estudo e meditação acerca das Sagradas Escrituras, parece ser algo que não passa pelo crivo da própria Palavra de Deus. Logo, o mesmo Espírito que nos “ensina todas as coisas” é o mesmo que nos faz lembrar daquilo que lemos e estudamos.
“Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e VOS FARÁ LEMBRAR de tudo quanto vos tenho dito” (João 14.26 – grifo do autor).
O texto supra é muito claro, tanto é que logo após o trecho “…vos ensinará todas as coisas…” o evangelista acrescenta as seguintes palavras: “…vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito”. Destarte, com relação ao fato de o Espírito Santo ensinar “todas as coisas”, além de referir-se aquilo sobre o qual os discípulos seriam ensinados após a ascensão de Cristo (1 Coríntios 11.23ª), por inferência, muito provavelmente o escritor sacro estivesse aludindo também ao evento que muito tempo depois o reformador e monge agostiniano Martinho Lutero viria chamar de “clareza interna das Escrituras”.
Segundo o reformador, a “clareza externa” é possibilitada a todos por meio do simples conhecimento gramatical do texto, contudo, a clareza interna é facultada somente a quem possui o Espírito Santo, sem o qual, se torna impossível a compreensão dos mistérios ali revelados (Marcos 4.11,12; Lucas 8.10), visto que a Bíblia não é um livro qualquer da literatura popular. Logo, para interpretarmos corretamente a Bíblia, precisamos evidentemente, da iluminação da mente proporcionada pelo agir do Espírito de Deus, contudo, este evento não exclui o processo de estudo, mas acontece por meio dele, fato evidenciado a luz de todo o contexto bíblico (Deuteronômio 6.6-9; 11.18-21; 17.19,20; Neemias 8.7,8; Atos 8.30-35; Romanos 12.7; 15.4; 1 Timóteo 4.13).
É necessário observar ainda que, o Espírito Santo não apenas “ensina” conforme já foi explanado anteriormente, mas também nos fará “lembrar de tudo”, principalmente daquilo que está escrito (João 12.16). Assim, antes de prosseguir com o raciocínio em questão, é necessário fazer breve consideração sobre o significado do verbo “lembrar”. De acordo com o Dicionário Eletrônico Houaiss, lembrar é “trazer algo à memória, recordar”. Destarte, cabe acrescentar que só podemos trazer à memória ou recordar, aquilo que de antemão conhecemos. Não há como nos lembrarmos de algo que nunca tenhamos visto, ouvido ou lido. Ou, por acaso, você é capaz de lembrar de um lugar no qual nunca tenha ido? É óbvio que não. Assim também esta assertiva é verdadeira em relação ao conteúdo bíblico, isto é, só poderemos lembrar daquilo que em outro momento nos foi oportunizado conhecer.
Deste modo, objetivando fortalecer a ideia de que o exame, análise e estudo da Palavra de Deus é algo incentivado e orientado pela própria Bíblia, analisemos o clássico Salmo de número 1:
Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e NA SUA LEI MEDITA DE DIA E DE NOITE. Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará. (Salmo 1.1-3 – grifo do autor).
A questão é: como meditar sem conhecer? Aliás, meditar em que, se não houve leitura, logo, conhecimento prévio? Meditar significa estudar e ponderar a respeito do conteúdo de alguma coisa através de profundas e longas reflexões. De modo resumido e em paráfrase, este é o conceito apresentado pelos dicionários de língua portuguesa para o vocábulo “meditar”.
Vejamos mais algumas passagens bíblicas que fundamentam o teor deste raciocínio:
Com que purificará o jovem o seu caminho? Observando-o CONFORME A TUA PALAVRA. Com todo o meu coração te busquei; não me deixes desviar dos teus mandamentos. ESCONDI A TUA PALAVRA no meu coração, para eu não pecar contra ti. Bendito és tu, ó Senhor; ensina-me os teus estatutos. Com os meus lábios declarei todos os juízos da tua boca. Folguei tanto no caminho dos teus testemunhos, como em todas as riquezas. MEDITAREI NOS TEUS PRECEITOS, e terei respeito aos teus caminhos. Recrear-me-ei nos teus estatutos; NÃO ME ESQUECEREI DA TUA PALAVRA (Salmo 119.9-16 – grifo do autor).
Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que MANEJA BEM A PALAVRA DA VERDADE(2 Timóteo 2.15 – grifo do autor).
Persiste em LER, EXORTAR e ENSINAR, até que eu vá (1 Timóteo 4.13 – grifo do autor).
Quando vieres, traze a capa que deixei em Trôade, em casa de Carpo, e os LIVROS, principalmente os pergaminhos (2 Timóteo 4.13 – grifo do autor).
Observe que Paulo, um dos maiores nomes do período neotestamentário, era um homem sábio e um exímio escritor/leitor/estudante. Perceba que nas epígrafes textuais supracitadas, além de escrever sobre a necessidade que há de os obreiros manejarem bem a Palavra da Verdade e de orientar o jovem pastor Timóteo a persistir na leitura, exortação e ensino, ele demonstra clara preocupação com os seus “livros”.
Certa feita, perguntaram para um sábio homem de Deus: “O que é mais importante: ler a Palavra de Deus ou orar?’. Ele sabiamente respondeu: “O que é mais importante para um pássaro, a asa da direita ou a da esquerda?” (A. W. Tozer)
Portanto, negligenciar o estudo da Bíblia em defesa de uma suposta “espiritualidade”, que se jacta ao ponto de abrir mão do conhecimento bíblico, é algo tão ignorante quanto dizer que 1 + 1 é igual a 3. Isto pode ser algo tão antropocêntrico quanto à tentativa de colocar-se no lugar de Deus, afinal de contas, o Eterno nos deixou sua palavra para nosso ensino, repreensão, correção e educação na justiça a fim de sermos habilitados para toda boa obra.
Não obstante, já dizia o salmista: “Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e, luz para os meus caminhos” (Salmo 119.105).
Fraternalmente em Cristo,
Ângelo dos Santos Monteiro

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Quem é você na parábola da semeador?

Esta é, pois, a parábola: A semente é a palavra de Deus; E os que estão junto do caminho, estes são os que ouvem; depois vem o diabo, e tira-lhes do coração a palavra, para que não se salvem, crendo; E os que estão sobre pedra, estes são os que, ouvindo a palavra, a recebem com alegria, mas, como não têm raiz, apenas crêem por algum tempo, e no tempo da tentação se desviam; E a que caiu entre espinhos, esses são os que ouviram e, indo por diante, são sufocados com os cuidados e riquezas e deleites da vida, e não dão fruto com perfeição; E a que caiu em boa terra, esses são os que, ouvindo a palavra, a conservam num coração honesto e bom, e dão fruto com perseverança. Lucas 8.11-15
Boa parte das pessoas conhece a parábola da semeadura na qual Jesus nos mostra de forma clara que nosso coração pode ser um solo muito difícil de ter algo bom plantado nele.
A palavra nos vem através do ouvir e ler, afinal quem prega a palavra a leu, orou, se colocou diante de Deus para compreender a mensagem e assim pregá-las aos seus ouvintes – Logo a fé vem pelo ouvir, e o ouvir vem pela palavra de Cristo. Romanos 10.17
Recentemente Deus tem me agraciado em poder acompanhar de perto diferentes tipos de pessoas e através de sua multiforme graça me ensinado a amá-las mesmo quando sei que elas estão fugindo de Deus, se vitimizando ou até mentindo sobre suas vidas. Se fosse alguns anos atrás eu já teria as mandado se aconselharem com outras pessoas ou até buscarem outra igreja, ou então eu simplesmente as ignoraria com o famoso – que Deus cuide da irmãzinha, afinal minha paciência tem limite e não sou trouxa, massss enfim, resolvi não me inflamar ou deixar meu coração se ofender com aqueles que são novos na fé, ou estão em crise com Deus, com si mesmos, com o mundo, afinal eu já passei por tudo isso nessa minha infância de 7 anos de real conversão e crises novas vem, antigas voltam, só resolvi chorar minhas pitangas direto para fonte que é Jesus ao invés de ficar fazendo ligações a cobrar para Deus através de pessoas e logicamente me decepcionar com elas, afinal por mais que elas sejam de Deus, são humanas como eu e muitas vezes nossos achismos gritam mais alto em nossos conselhos do que realmente sabedoria divina.
Enfim, voltando a parábola, Jesus descreve 4 tipos de solo e suas reações a receberem suas sementes:
1 – E os que estão junto do caminho, estes são os que ouvem; depois vem o diabo, e tira-lhes do coração a palavra, para que não se salvem, crendo; vers. 12
São pessoas que ouvem a palavra de Deus, porém dão abertura para Satanás fazer parte de suas vidas e ai Deus fica lá de escanteio. Essa abertura pode ser consciente ou inconsciente, porém sempre acontece e geralmente a camuflamos com o famoso – ah mais eu vou à igreja, eu ouço pregações, minha família é crente, eu fui batizado em 1900 em bolinha pelo apóstolo tal que me ungiu com o óleo master plus ungidão…. pois é, nada disso adianta se não nos rendermos à Cristo diariamente. Quem não dá espaço à luz, dá espaço a trevas, não existe meio termo.
2 – E os que estão sobre pedra, estes são os que, ouvindo a palavra, a recebem com alegria, mas, como não têm raiz, apenas crêem por algum tempo, e no tempo da tentação se desviam; vers. 13
É aquela pessoa que chega chegando na igreja sabe? Se empolga, participa de tudo, vai a todos os apelos, acha que tudo vem de Deus, até acontecer algo que contrarie sua vontade e pronto – Deus vira um bicho papão maldoso que não fez o que seu filho(a) achava certo.
Esse é um dos perfis mais encontrados na igreja brasileira hoje em dia – ‘crentes’ que pulam de igreja em igreja buscando a bênção e aí quando o calo aperta a culpa é de Deus, da igreja, do líder que não é ungido o suficiente, do lencinho que não deu certo, do templo que não é de Salomão e assim vai. São os crentes que desejam um Deus da benção, mas não querem ter relacionamento com o abençoador, não aceitam serem frustrados e simplesmente ignoram o fato de que se Jesus que era O Cara, sofreu daquele jeito, porque mesmo nós não sofreríamos?
Jesus venceu o mundo e o que Deus nos promete é que passará conosco na fornalha assim como foi com Daniel, e não que sumirá com a fornalha de nossas vidas.
3 – E a que caiu entre espinhos, esses são os que ouviram e, indo por diante, são sufocados com os cuidados e riquezas e deleites da vida, e não dão fruto com perfeição; vers.14
Há alguns meses ouvi um pastor sabiamente dizer que os extremos da sociedade – milionários ou miseráveis – são os grupos menos evangelizados na sociedade ocidental, pois simplesmente não sabemos lidar com eles. Atire a 1ª pedra quem não tem dificuldade em julgar um rico e em realmente se compadecer de pessoas em estado de miséria? Evangelizar esses extremos nos confronta em julgamentos, princípios, ego – afinal é tão melhor eu fingir uma humildade aparente sendo classe média não é mesmo?
Creio que essa passagem vai muito além de qualquer condenação a pessoas prósperas financeiramente – Jesus fala de mim e de você que muitas vezes finge ter um coração desprendido materialmente, mas não abre mão de seu conforto material. Não precisa ser um armário com roupas carésimas – simplesmente aquela sua preguiça de fazer ação com moradores de rua, viciados, garotas em prostituição, presidiários – afinal já tem muita gente que faz isso, não é mesmo? Que não assiste sua igreja local financeiramente, mas ajuda o Criança Esperança, afinal seu artista favorito estava lá te entretendo pedindo seu dinheiro e aqueles vídeos infantis tocaram seu coração.
Eu e você que vomitamos comentários maldosos na internet criticando os tele evangelistas e líderes que pregam prosperidade ou expõem suas vidas e looks do dia via Instagram, mas ai do meu pastor se tirar o ar condicionado de minha igreja, ou se não houver um lugar bom para eu me sentar, ou alguém tiver com uma roupinha mais ou menos enquanto louva ou cabelos desgrenhados, ou se meu pastor me mandar abraçar aquele mendigo mal cheiroso que resolveu aparecer no final do culto para causar, ou se a seleção de músicas do louvor naquele culto não fizeram meu coração tremer.
Não adianta sermos obesos espiritualmente se não formos servos de nosso próximo como Jesus foi. Amar a Deus e não amar ao próximo rompendo minha zona de conforto e me doando por inteiro é simplesmente algo incoerente.
4 – E a que caiu em boa terra, esses são os que, ouvindo a palavra, a conservam num coração honesto e bom, e dão fruto com perseverança. vers.15
E essa é minha meta de vida! Perseverar até o final dos meus dias gerando frutos através de ouvidos obedientes a palavra e coração bom e honesto com plena ciência de quão mundana e humana sou, afinal nasci no mundo e não em Marte não é mesmo? E que qualquer ato de bondade que eu possa fazer é 100% fruto de um Deus que conhece a maldade, porém não faz parte dela e só tem bondade como virtude.
Topa essa desafio comigo, perseverar em conhecer Deus, viver sua palavra e servir ao próximo como Jesus serviu ? Eu quero romper a bolha ao meu redor, e você?
Por Carla Stracke

* As opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores
e não refletem, necessariamente, a opinião do Gospel Prime.

Você poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...