NOSSA MISSÃO: “Anunciar o Evangelho do Senhor Jesus à todos, transformando-os em soldados de Cristo, através de Sua Palavra.”

Versículo do Dia

Versículo do Dia Por Gospel+ - Biblia Online

sábado, 27 de junho de 2015

Pedro, nosso fiel retrato - Por Rev. Hernandes Dias Lopes

Pedro é o personagem mais contraditório da história. Oscilava como  uma gangorra desde os picos mais altos da coragem até às profundezas da covardia mais vil. Com a mesma velocidade que avançava rumo à devoção mais fiel, dava marcha ré e tropeçava em suas próprias palavras. Pedro é mais do que um homem paradoxal; é um emblema. Pedro é o nosso fiel retrato. É a síntese da nossa biografia. O sangue de Pedro corre em nossas veias e o coração de Pedro pulsa em nosso peito. Temos o DNA de Pedro. Oscilamos também entre a devoção e a apostasia. Subimos aos píncaros e caímos nas profundezas. Falamos coisas lindas para Deus e depois tropeçamos em nossa língua e blasfemamos contra ele. Prometemos inabalável fidelidade e depois revelamos vergonhosa covardia. Revelamos uma fé robusta num momento e em seguida naufragamos nas águas revolta da incredulidade. É isso que somos, Pedro!
Quem era Pedro? Pedro era filho de Jonas e irmão de André. Nasceu em Betsaida, bucólica cidade às margens do mar da Galiléia. Pedro era um pescador rude e iletrado, mas detentor de uma personalidade forte. Era notório seu dom de liderança. Pedro era casado. Fixou residência em Cafarnaum, quartel general de Jesus em seu ministério. Nessa cidade tinha uma empresa de pesca em sociedade com Tiago e João, os filhos de Zebedeu.
Pedro foi levado a Cristo pelo seu irmão André. Desde que foi chamado por Cristo para ser um pescador de homens, ocupou naturalmente a liderança do grupo apostólico. Seu nome figura em primeiro lugar em todas as listas neo-testamentárias que apresentam os nomes dos apóstolos. Foi o líder inconteste dos apóstolos antes da morte de Cristo e o destacado líder depois da ressurreição de Cristo. Ele foi o homem que abriu as portas do evangelho tanto para os judeus como para os gentios.
Seu ministério foi direcionado especialmente aos judeus, aos da circuncisão. Foi o grande pregador da igreja primitiva em Jerusalém, aquele que levou a Cristo cerca de três mil pessoas em seu primeiro sermão depois do Pentecostes. Também foi dotado pelo Espírito Santo para operar grandes milagres. Até mesmo sua sombra era instrumento poderoso nas mãos de Deus para curar os enfermos.
Pedro foi como uma pedra bruta burilada pelo Espírito Santo. De um homem violento, tornou-se um homem manso. De um homem afoito e precipitado, tornou-se um homem ponderado. De um homem explosivo, tornou-se um homem controlado e paciente. De um homem covarde tornou-se um gigante, que enfrentou prisões, açoites e a própria morte com indômita coragem.
Pedro foi um homem de oração. Tinha intimidade com Deus. Porque prevalecia secretamente diante de Deus em oração, levantava-se com poder diante dos homens para pregar. Pedro foi um pescador de homens e um presbítero entre outros presbíteros. Jesus colocou em sua mão o cajado de pastor e ordenou-lhe a apascentar seus cordeiros e a pastorear suas ovelhas. Pedro foi um homem que encorajou a igreja a enfrentar o sofrimento da perseguição e também denunciou com inabalável coragem os falsos mestres que perturbavam a igreja. Esse foi o teor respectivo de suas duas epístolas. Pedro foi um missionário que, juntamente com sua esposa, anunciou o evangelho em muitos redutos do império romano. Pedro exaltou a Cristo em sua vida e glorificou a Deus através de sua morte. Que você e eu, sigamos as pegadas desse homem de Deus e que em nossa geração, Cristo seja conhecido em nós e através de nós!

Fonte: hernandesdiaslopes.com.br

Pastor Franklin Graham ignora tribunal dos EUA: “Deus criou o casamento para homem e mulher”

Pastor Franklin Graham ignora tribunal dos EUA: “Deus criou o casamento para homem e mulher”

O casamento gay foi aprovado nos Estados Unidos pela Suprema Corte do país, impondo um precedente jurídico sobre todos os estados da nação, que antes estavam divididos sobre o tema.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel A legalização da união entre pessoas do mesmo sexo aconteceu na última sexta-feira, 26 de junho, após uma votação apertada, em que os juízes decidiram por 5 votos a 4 aprovar o tema.
O pastor Franklin Graham comentou a decisão judicial e lamentou os rumos de extremo secularismo que o país vem tomando, além de reforçar sua crença de que o casamento é a união entre um homem e uma mulher, conforme descrito pela Bíblia Sagrada.
“A Suprema Corte dos Estados Unidos decidiu hoje que o casamento homossexual é legal em todos os 50 estados. Com todo o respeito ao tribunal, isso não define o casamento, e, portanto, vocês não têm direito a redefini-lo”, escreveu Graham em sua página no Facebook.
De acordo com o pastor, as deliberações de um sistema de justiça criado por homens não superam o que Deus estabeleceu como padrão: “Muito antes do nosso governo existir, o casamento já tinha sido criado por Aquele que criou o homem e a mulher, Deus Todo-Poderoso e Suas decisões não estão sujeitas a analise ou revisão por qualquer tribunal de origem humana. Deus é claro sobre a definição de casamento em Sua Santa Palavra: ‘Por isso o homem deixará seu pai e sua mãe e apegar à sua esposa, e eles se tornarão uma só carne’ (Gênesis 2:24)”, escreveu.
O filho do evangelista Billy Graham terminou seu texto fazendo uma prece pela misericórdia divina sobre os Estados Unidos: “Peço a Deus que poupe América de Seu julgamento, no entanto, por nossas ações como uma nação, nós damos-lhe menos e menos razões para fazê-lo”, finalizou.

Fonte: gospelprime

PM é baleado acidentalmente na cabeça em Vitória da Conquista

O soldado da Policia Militar Rudson Sousa, de Vitória da Conquista, foi baleado acidentalmente, após sua arma cair no banheiro de uma padaria na tarde dessa sexta (26). Rudson foi utilizar o banheiro, momento em que a pistola caiu do colete do rapaz, disparando em sua cabeça. Ele se encontrava fardado e a serviço nas motocicletas da 77ª Cipm - Conquista. Ao ouvirem os disparos, colegas policiais arrombaram a porta do banheiro, e encontraram o rapaz caído. O policial foi socorrido com rapidez para o Hospital Samur, onde foi operado no Centro Cirúrgico da Unidade. Rudson Sousa trabalhou durante alguns anos em Itapetinga, onde possui inúmeros amigo. Ele é evangélico e tem filhos. (Itapetinga Agora)

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Aliança salva vida de pastor em tiroteio no Rio de Janeiro

No tiroteio que causou pânico na noite desta quinta-feira em Irajá, na estação de metrô do bairro da Zona Norte, três pessoas foram vítimas de balas perdidas mas uma delas foi salva por um 'milagre'. É o que relata o pastor José de Souza Campos, 78 anos, que estava dentro de um ônibus e uma das balas foi bloqueada por sua aliança de casamento. "A aliança que estava no meu dedo salvou minha vida e, possivelmente, a de algum outro passageiro", acredita o pastor, em entrevista ao Bom Dia Rio, da TV Globo, mostrando o objeto partido pelo tiro. "É uma aliança verdadeira", completou a mulher dele, Marina Campos, se referindo a crença do marido em Deus.
 
Fonte: O Dia

26 de Junho - Dia do Missionário Batista

Hoje é o Dia do Missionário Batista! Louvamos a Deus pela vida de cada missionário que abre mão de sua vida para cumprir a missão de levar o amor de Deus as pessoas.

Fonte: Junta de Missões Nacionais

Construa pontes em vez de cavar abismos (Por Hernandes Dias Lopes)

Nós não somos perfeitos nem convivemos com pessoas perfeitas. Temos, não raro, motivos de queixas uns contra os outros. Os relacionamentos mais íntimos adoecem. As amizades mais próximas acidentam-se nos rochedos das decepções e das mágoas. As palavras de amor são substituídas por censuras e os abraços fraternos são trocados pelo afastamento gelado.
Os relacionamentos adoecem na família, na igreja e no trabalho. Pessoas que andaram juntas e comungaram dos mesmos sentimentos e ideais, afastam-se. Cônjuges que fizeram votos de amor no altar, ferem um ao outro com palavras duras. Amigos que celebravam juntos as venturas da vida, distanciam-se. Parentes que degustavam as finas iguarias no banquete da fraternidade, recuam amargurados. Irmãos que celebravam festa ao Senhor com o mesmo entusiasmo, apartam-se tomados por dolorosa indiferença.
Como podemos restaurar esses relacionamentos quebrados? Como podemos despojar-nos da mágoa que nos atormenta? Como podemos buscar o caminho do perdão e construir pontes em vez de cavarmos abismos?
1. reconhecendo nossa própria culpa na quebra desses relacionamentos. É mais fácil acusar os outros do que reconhecer nossos próprios erros. É mais fácil ver os erros dos outros do que admitir os nossos próprios. É mais cômodo recolher-nos na caverna da auto-piedade do que admitir com honestidade a nossa própria parcela de culpa. A cura dos relacionamentos começa com o correto diagnóstico das causas que provocaram as feridas. E um diagnóstico honesto passa pela admissão da nossa própria culpa.
2. tomando atitudes práticas de construir pontes de aproximação em vez de cavar abismos de separação. A honestidade de reconhecer nossa culpa e a humildade de dizer isso para a pessoa que está magoada conosco é o caminho mais curto e mais seguro para termos vitória na restauração dos relacionamentos quebrados. Jesus Cristo nos ensinou a tomar a iniciativa de buscar o perdão e a reconciliação. Não podemos ficar na retaguarda, nos enchendo de supostas razões, esperando que os outros tomem a iniciativa. Devemos nós mesmos dar o primeiro passo. Deus honrará essa atitude.
3. tomando a atitude de perdoar a pessoa que está magoada conosco assim como Deus em Cristo nos perdoou. É mais fácil falar de perdão do que perdoar. O perdão não é coisa fácil, mas é necessário. Não podemos ser verdadeiros cristãos sem o exercício do perdão. O perdão também não é coisa rasa. Não podemos nos contentar com uma cura superficial dos relacionamentos feridos. Não podemos ignorar o poder da mágoa nem achar que o silêncio ou o tempo, por si mesmos, possam trazer cura para esses relacionamentos estremecidos. O perdão é mais do que sentimento, é uma atitude. Devemos perdoar porque fomos perdoados e devemos perdoar como fomos perdoados. Devemos apagar os registros que temos guardado nos arquivos da nossa memória. Não devemos cobrar mais aquilo que já perdoamos nem lançar mais no rosto da pessoa aquilo que já resolvemos aos pés do Salvador. O perdão é um milagre. É obra da graça de Deus em nós e através de nós. É dessa fonte da graça que emana a cura para os relacionamentos quebrados. Que Deus nos dê a alegria da cura dos relacionamentos no banquete da reconciliação!

Fonte: hernandesdiaslopes.com.br

Novela sobre Jesus gera polêmica na Globo

Novela sobre Jesus gera polêmica na Globo
O plano de gravar uma novela com tema bíblico está dividindo opiniões dentro da Rede Globo. O autor Benedito Ruy Barbosa apresentou uma sinopse sobre a volta de Jesus a Terra e antes mesmo do projeto tomar forma já começaram as polêmicas.
Segundo Daniel Castro, do Notícias da TV, há setores na Globo que não querem entrar nesse filão de novelas e minisséries bíblicas, pois assim eles confessariam que a Record está tendo sucesso.
Todas as minisséries bíblicas da emissora de Edir Macedo tiveram boa aceitação do público e a novela Os Dez Mandamentos tem registrado altos índices de audiência, chegando a alcançar 17 pontos na Grande São Paulo na última semana.
Enquanto isso a novela “Babilônia” segue sem fidelizar o público, criticada e até alvo de campanhas de boicote, a atração das 21h não apresenta os resultados esperados para uma produção da Globo.
Mas dentro da emissora há quem defenda a novela sobre a volta de Cristo, ao que parece não será uma história bíblica, mas sim o renascimento de Jesus nos dias atuais, sem nenhuma ligação com o que a Bíblia diz sobre a segunda vinda do Messias.

Fonte: gospelprime

quinta-feira, 25 de junho de 2015

15° Batalhão forma 46 cabos da PMBA

Aconteceu na manhã desta quinta-feira (25), mais uma formatura de Cabos realizada pelo 15° Batalhão. A solenidade foi no Auditório da Universidade Unime e foi presidida pelo Maj PM Riccio (Comandante do 15° BPM). Ao todo 46 policiais de diversas unidades do interior da Bahia, receberam o diploma de Cabo da PMBA, após uma semana de curso no 15° Batalhão.
A Cerimônia contou com momentos de muita emoção, dentre eles podemos destacar o juramento executado pelos formandos, o recebimento dos diplomas e a canção Adeus CFAP, aonde os alunos fizeram a despedida e, ao mesmo tempo o telão mostrava as imagens dos mesmos durante o período do curso. “Gostaria de dar parabéns aos nossos policiais e desejar felicidades.
Esse é um momento de valorização da nossa tropa. Valorização essa que se reflete no serviço da segurança pública. Quando o homem se sente valorizado e prestigiado, automaticamente ele reflete isso no cuidado e no atendimento ao cidadão", afirmou Maj PM Riccio, comandante da unidade.
O Major ainda ressaltou o esforço do Comandante Geral e do Governo do Estado em promovê-los e que em breve terá o curso de Sargentos.

Os governantes precisam temer a Deus (Por Hernandes Dias Lopes)

A nação brasileira vive uma das maiores crises de sua história desde o Brasil Colônia, desde o Brasil Império e desde o Brasil República. A crise mais profunda que enfrentamos hoje é a crise de integridade, ou seja, a corrupção instalada nos meandros dos poderes constituídos. O Brasil caminha trôpego e cambaleante, enfermo e combalido pela crise moral que feriu mortalmente nosso parlamento e nossos governantes. O país sangra, o povo geme e o futuro torna-se sombrio. A inflação acelera enquanto o índice de crescimento dá marcha ré. O povo já empobrecido e as empresas já pagando mais tributos do que conseguem, ainda são convocados a pagar mais impostos, sem qualquer promessa de retorno. Tudo para pagar os rombos da roubalheira e a gastança perdulária daqueles que se empoleiram no poder para se servir do povo em vez de servirem ao povo.
O rei Davi está proferindo suas últimas palavras. É nesse contexto que proclama uma verdade solene: “… aquele que domina com justiça sobre os homens, que domina no temor de Deus é como a luz da manhã, quando sai o sol, como manhã sem nuvens, cujo esplendor, depois da chuva, faz brotar da terra a erva” (2Sm 23.3,4). O que Davi está dizendo, ao fechar as cortinas de sua vida, não emana dele mesmo, mas vem do próprio Deus. Que verdade é essa? Duas coisas são exigidas dos governantes: justiça e temor a Deus. O governante que não pauta sua administração pelas normas da justiça, faz de seu governo um covil de salteadores. Quem não teme a Deus no exercício de seu governo, entrega-se à insensatez e acaba oprimindo o povo em vez de servir ao povo. Quando os governantes pautam sua vida e suas ações pela justiça e pelo temor a Deus, o resultado é a bênção da prosperidade, assim como a luz que vem depois da chuva, faz brotar a erva da terra. A injustiça e a impiedade têm sido, infelizmente, o manto de muitos governantes. Roubam e deixam roubar. Oprimem e toleram a opressão. O povo, em vez de ser abençoado, amarga derrotas fragorosas e geme esmagado sob o peso da opressão. Por outro lado, a palavra de Deus diz: “Feliz é a nação cujo Deus é o Senhor…” (Sl 33.12).
O apóstolo Paulo diz que as autoridades superiores procedem de Deus e foram instituídas por ele. Opor-se gratuitamente à autoridade, portanto, é resistir à ordenação de Deus (Rm 13.1,2). As autoridades superiores são ministros de Deus e recebem de Deus uma dupla responsabilidade: promover o bem e reprimir o mal (Rm 13.4). O governante exerce o seu ministério em nome de Deus e sob a autoridade de Deus. Para que o governante cumpra esse papel devemos dar a ele honra e respeito e pagar a ele tributos e impostos (Rm 13.6,7). O governante precisa firme e resoluto tanto na promoção do bem como na punição do mal (Rm 13.4). E o povo precisa sujeitar-se ao governante não apenas por medo de punição, mas, sobretudo, por dever de consciência (Rm 13.5).
Mas, e se o governante, em vez de cumprir o seu papel, esquecer-se de Deus e colocar a si mesmo acima de Deus e da lei para promover o mal e reprimir o bem? E se o governante em vez de ser um diácono de Deus a serviço do povo (Rm 13.4), apostatar-se de Deus, para oprimir o povo? Nesse caso, cabe à igreja, como consciência do Estado, exercer sua voz profética e alertar a autoridade constituída, a mudar o rumo de sua ação e voltar-se Deus, a fim de servir ao povo em vez de oprimir o povo. Onde falta profecia, o povo se corrompe. Quando a igreja se cala, a sociedade se corrompe. Que Deus nos dê governantes justos e tementes a Deus! Que Deus nos conceda, nesta nação, um tempo de restauração, prosperidade, ordem e progresso!
Rev. Hernandes Dias Lopes

Governo ignora decisão do Congresso e tenta obrigar o ensino da ideologia de gênero nas escolas

Governo ignora decisão do Congresso e tenta obrigar o ensino da ideologia de gênero nas escolas
A questão em torno da ideologia de gênero, uma das plataformas mais ousadas e importantes dos ativistas gays, foi recusada como política nacional de ensino em 2014 pelo Congresso Nacional, porém o Ministério da Educação (MEC) vem ignorando essa determinação e vem exigindo que os estados e municípios instituam essa matéria no currículo escolar.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel A ideologia de gênero, em resumo, prega que a identidade sexual de uma pessoa seja construída a partir de suas experiências sociais, culturais e afetivas, e não a partir de sua constituição biológica. Na prática, isso significa dizer que, se implementada nas escolas, os alunos passariam a aprender que ser homem ou mulher é uma escolha pessoal, devendo assim, decidirem como querem ser tratados.
De acordo com denúncia feita pelo deputado federal Izalci Lucas Ferreira (PSDB-DF), o MEC vem exigindo que o ensino da ideologia de gênero seja implementado nas escolas municipais e estaduais até o fim de junho.
Em um discurso no plenário da Câmara, Izalci apresentou um requerimento, apoiado por outros 13 deputados, para cobrar explicações oficiais ao ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, a respeito de documentos elaborados pelo Fórum Nacional de Educação, que estão orientando a elaboração dos planos estaduais e municipais, com a afirmação de que a ideologia de gênero é obrigatória.
Essa postura do governo federal desobedece a determinação do Congresso Nacional em 2014, que retirou do Plano Nacional de Educação (PNE) todas as menções à ideologia de gênero como uma meta da educação brasileira. Na ocasião, ficou estabelecido que até o fim de junho de 2015, cada um dos 27 Estados, Distrito Federal e os 5.570 municípios aprovem planos próprios, seguindo as bases primárias definidas pelo PNE.
“A ideologia de gênero, contrariamente ao que dizem seus ativistas, não tem por finalidade combater a discriminação contra minorias. Ela tem origem no movimento marxista e tem por finalidade abolir a instituição familiar da estrutura social. É doutrina de Marx a noção de que a primeira de todas as opressões é constituída pela própria família, e que, sem a abolição da família, não poderá ser levada adiante a revolução comunista. Esta doutrina foi claramente exposta no último livro escrito por Marx, intitulado ‘A Origem da Família, da Propriedade e do Estado’, finalizado postumamente por [Friedrich] Engels”, afirmou o especialista Alberto Monteiro.
As críticas à proposta de ensino da ideologia de gênero nas escolas são abrangentes. A educadora Leonice da Paz, presidente da Associação Marchadoras de Jesus, afirmou que a educação sexual e a diversidade devem ser introduzidas pelos próprios pais, de acordo com suas culturas e crenças: “Não cabe à escola, apresentar este tema às crianças. Caso esta proposta seja aprovada, isto pode significar a violação de um direito que é, acima de tudo, da própria família. O perigo desta proposta está na possibilidade de fazer uma confusão muito grande na cabeça das crianças. Por trás desta proposta, há com certeza uma psicologia ativista servindo a uma agenda determinada, transformando crianças em cobaias”, pontuou, segundo informações do site Guia-me.
O promotor da Infância, Adolescência e Juventude do Mato Grosso do Sul (MS), Sérgio Harfouche, aponta que há irregularidades jurídicas na proposta de ideologia de gênero. Ele é membro da Comissão Permanente da Educação (COPEDUC) e do Grupo Nacional dos Direitos Humanos.
“O princípio de hierarquia das leis exige que, uma lei, para ser válida, retire essa validade de uma lei hierarquicamente superior. Uma lei federal não pode dizer mais ou menos do que a Constituição Federal já disse”, pontuou, reiterando que o Congresso Nacional excluiu a proposta da ideologia de gênero do PNE: “Por ser o Plano Nacional de Educação uma lei federal, vai oferecer subsídios para ser replicada nos estados e nos municípios pelos Planos Estaduais e Municipais de Educação. Vale dizer que, se o Plano Nacional de Educação, pelo Congresso Nacional, excluiu as expressões de ideologia de gênero, isto tem que ser também aplicado pelos planos estaduais e municipais”, frisou.

Fonte: gospelmais

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Aniversário do Programa "Ao Anoitecer com Deus" - Pastor Valdevino


Assembleia de Deus em Belém comemora 104 anos

Assembleia de Deus em Belém comemora 104 anos

Festival da Esperança com Franklin Graham chega a Fortaleza

Festival da Esperança com Franklin Graham chega a Fortaleza
A cidade de Fortaleza (CE) vai receber a cruzada Festival da Esperança, evento realizado em diversos países do mundo pelo pastor Franklin Graham. O culto vai acontecer nos dias 23 e 24 de outubro e deve atrair cerca de 50 mil pessoas.
A cruzada faz parte dos eventos promovidos pela Associação Evangelística Billy Graham, AEBG, e nesta edição conta com a parceria da Ordem dos Ministros Evangélicos do Ceará (ORMECE) e Igrejas Evangélicas de Fortaleza.
O objetivo do evento é contribuir para que a palavra de Deus se espalhe pela capital cearense e também para as cidades próximas, já que caravanas de outros municípios poderão participar dos cultos.
A cruzada acontecerá na Arena Castelão, localizada na Av. Alberto Craveiro, 2901. Cerca de 20 mil pessoas serão treinadas através de um curso de capacitação da Associação Billy Graham para trabalharem durante o evento, metade deles serão conselheiros e a outra metade ajudará na logística.
A associação realizará mais de 20 cursos em toda a Fortaleza, encontro de mulheres, encontro de homens, vigílias, eventos para pastores e líderes e ainda ensaios do grande coral. Para mais informações sobre esses cursos entre em contato através dos telefones (85) 3017-1679 / 3021-1755

Fonte: gospelprime

terça-feira, 23 de junho de 2015

Jejum, uma prática a ser resgatada (Por Hernandes Dias Lopes)

O jejum é uma prática milenar, porém em desuso na igreja cristã contemporânea. Está presente tanto no Antigo como no Novo Testamento. Os profetas, os apóstolos, Jesus e muitos homens de Deus, ao longo da história, experimentaram os benefícios espirituais do jejum. Os santos de Deus em todos os tempos não somente creram no jejum, como também o praticaram. Hoje, porém, são poucos os crentes que jejuam com regularidade e ainda há muitas dúvidas acerca da sua necessidade e de seu funcionamento. Destacaremos três pontos para nosso ensino:
Em primeiro lugar, o significado do jejum. O que é jejum? É a abstenção de alimento por um período definido para um propósito definido. O jejum não é apenas abstinência de alimento. Jejum é fome de Deus, saudade do céu. Nós comemos e bebemos para a glória de Deus e também jejuamos para a glória de Deus (1Co 10.31). Se comemos para a glória de Deus e jejuamos para a glória de Deus, qual é a diferença entre comer e jejuar? John Piper diz que, quando jejuamos nos alimentamos do pão da terra, símbolo do Pão do céu; mas quando jejuamos, não nos alimentamos do símbolo, mas da própria essência, ou seja, nos alimentamos do próprio Pão do céu. Jejuar é amar a realidade acima do emblema. O alimento é bom, mas Deus é melhor. A comunhão com Deus deve ser a nossa mais urgente e apetitosa refeição. Nós glorificamos a Deus quando o preferimos acima dos seus dons.
Em segundo lugar, os obstáculos para a prática do jejum. Há muitos obstáculos que nos afastam do caminho do jejum. O maior obstáculo para o jejum, porém, não são as coisas más, mas as coisas boas. Nem sempre nos afastamos de Deus por coisas pecaminosas em si mesmas. Os mais mortíferos apetites não são pelos venenos do mal, mas pelos prazeres da terra, os deleites da vida (Lc 8.14; Mc 4.19). “Os prazeres desta vida” e “os desejos por outras coisas” não são um mal em si mesmos. Não são vícios; são dons de Deus. No entanto, esses dons podem tornar-se substitutos mortíferos do próprio Deus em nossa vida. Jesus disse que antes de sua volta as pessoas estarão vivendo desatentas como a geração que pereceu no dilúvio. E o que elas estavam fazendo? Comendo e bebendo, casando-se e dando-se em casamento (Mt 24.37-39). Que mal há em comer e beber, casar e dar-se em casamento? Nenhum! Mas, quando nos deleitamos nas coisas boas e substituímos Deus pelas dádivas de Deus estamos em grande perigo. O jejum não é fome de coisas boas; o jejum é fome de Deus. O jejum não é fome das coisas que Deus dá; o jejum é fome do Deus doador. Nossa geração corre sôfrega atrás das bênçãos de Deus em vez de buscar o Deus das bênçãos. Deus é melhor do que suas dádivas. O abençoador é melhor do que sua bênção. Jejum é fome de Deus e não das dádivas de Deus!
Em terceiro lugar, o propósito do jejum. O jejum não é uma promoção pessoal nem uma trombeta a alardear nossa espiritualidade diante dos homens. O jejum não é meritório. Jejuamos para nos deleitarmos em Deus. Jejuamos porque temos saudade de Deus e não podemos viver vitoriosamente sem ele. O propósito do jejum não é obter o favor de Deus ou mudar a sua vontade (Is 58.1-12). Tampouco impressionar os outros com uma espiritualidade farisaica (Mt 6.16-18). Jejuar para ser admirado pelos homens é ter uma motivação errada. Jejum é fome do próprio Deus e não busca por aplausos humanos (Lc 18.12). O jejum é para nos humilharmos diante de Deus (Dn 10.1-12), para suplicarmos a sua ajuda (2Cr 20.3; Ed 4.16) e para voltarmo-nos para Deus com todo o nosso coração (Jl 2.12,13). O jejum é para reconhecermos a nossa total dependência divina (Ed 8.21-23). O jejum é um instrumento para fortalecer-nos com poder divino, em face dos ataques do inferno (Mc 9.28,29). É tempo da igreja jejuar! É tempo da igreja voltar-se para Deus de todo o seu coração, com jejuns e com pranto (Jl 2.12). É tempo de buscarmos um reavivamento verdadeiro, que traga fome de Deus em nossas entranhas e traga um profundo anseio pela presença manifesta de Deus em nossa igreja, em nossa cidade, em nossa nação!

Fonte: hernandesdiaslopes.com.br

Os evangélicos e as festas juninas


Depois do Carnaval, o evento mais esperado do calendário brasileiro são as festas juninas,que animam todo o mês de junho com muita música caipira, quadrilhas, comidas e bebidas típicas em homenagem a três santos católicos: Santo Antônio, São João e São Pedro. Naturalmente as festas juninas fazem parte das manifestações populares mais praticadas no Brasil.
Diante de tudo isso, perguntamos: “Teria algum problema os evangélicos acompanharem seus filhos em uma dessas festas juninas realizadas nas escolas, quando as crianças, vestidas a caráter (de caipirinha), dançam quadrilha e se fartam dos pratos oferecidos nessas ocasiões: cachorro-quente, pipoca, milho verde etc?”.
Quanto à essa questão, tão polêmica, é oportuno mencionar o comportamento de certas igrejas evangélicas, com a alegação de estarem propagando o evangelho durante o Carnaval, dedicam-se a um tipo duvidoso de evangelização nessa época do ano. Fazem de tudo, inclusive usam blocos carnavalescos com nomes bíblicos. Não devemos nos esquecer, no entanto, de que as estratégias evangelísticas devem ocorrer o ano todo, e não apenas em determinadas ocasiões, O mesmo acaba acontecendo no período das festas juninas.
Ultimamente, surgiram determinadas igrejas evangélicas que, a fim de levantar fundo para os necessitados e distribuir cestas básicas aos pobres, estão armando barracas junto com os católicos em locais em que as festas juninas são promovidas por órgãos públicos. Os produtos que vendem, diga-se de passagem, são característicos das festividades juninas. Os “cristãos” que ficam nas barracas vestem-se a caráter e pensam que, dessa forma, estão procedendo biblicamente.
E o que dizer das igrejas que promovem festas juninas em suas próprias dependências com a alegação de arrecadarem fundos? As festas juninas têm um caráter religioso que desagrada a Deus.
Nestas festas ocorrem rezas, canções e missas; as comidas e doces são oferecidos a estes santos -claro que os que comem não são os santos, mas os que participam dela.
É preciso que os líderes e pastores aprofundem a questão, analisem a realidade cultural do local em que desenvolvem certas ativida­des evangelísticas e ministério e orientem os membros de suas respectivas comunidades para que criem e ensinem os filhos nos preceitos recomendados pela Palavra de Deus. O simples fato de proibirem as crianças de participar dessas comemorações na escola em que estudam não resolve o problema, antes, acaba agravando a situação.
Para muitos cristãos, pode parecer que a participação deles nessas festividades juninas não tenha nenhum mal, e que a Bíblia não se posiciona a respeito. O apóstolo Paulo, no entanto, declara em I Coríntios 10.11 que as coisas que nos foram escritas no passado nos foram escritas para advertência nossa. Vejamos o que ele disse: “Ora, tudo isto lhes sobreveio como figuras, e estão escritas para aviso nosso, para quem já são chegados os fins dos séculos”.
Como crentes, devemos adorar somente a Deus: “Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás” (Mt 4.10). Assim, nossos lábios devem louvar tão-somente o Senhor Deus: “Portanto, ofereçamos sempre por meio dele a Deus sacrifício de louvor, que o fruto dos lábios que confessam o seu nome” (Hb 13.15).
O texto de Apocalipse 7.9 um bom exemplo do que estamos falando: “Depois destas coisas olhei, e eis aqui uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas, que estavam diante do trono, e perante o Cordeiro, trajando vestes brancas com palmas nas suas mãos. E clamavam com grande voz, dizendo: Salvação ao nosso Deus, que está assentado no trono, e ao Cordeiro“. É possível imaginar um cristão cantando louvores a São João Batista?
Motivos para não Participar de Festas Juninas Diante de tudo o que foi dito acima daremos uma recapitulação expondo o “porquê” de não participarmos de festas juninas. Vejamos então:
Plágio do Paganismo – Como vimos, as bases das festas juninas estão fincadas nas práticas das festividades pagãs. Eram as festas pelas colheitas. As festas juninas usurpou isto dos gentios, com apenas o detalhe de transvestir tais festas com roupagem cristã. No entanto, quando Deus introduziu o povo de Israel na terra prometida adverti-os severamente para que não usassem esse tipo de costume, diz Ele: “Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te dá, não aprenderás a fazer conforme as abominações daqueles povos.” [Deut. 18:9]. Independentemente das intenções, fossem elas boas ou não, o plágio fora terminantemente proibido por Deus.
Os Santos não Intercedem – É notório que estas festividades são para homenagear os três santos. Nestas datas as pessoas invocam sua proteção através de missas e fazem promessas e pedidos confiando em sua suposta intercessão. Não obstante, temos razões bíblicos em abundancia para rejeitarmos estas mediações que os devotos tanto acreditam. A Bíblia nos diz que existe um só mediador entre Deus e os homens: “Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem,” [I Tm. 2:5]. Este verso exclui todos os demais mediadores forjados pela mente humana. Se temos que pedir alguma coisa a alguém, esse alguém tem de ser Jesus Cristo, veja o que Ele mesmo diz: “…e tudo quanto pedirdes em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho.Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, eu a farei. [João 14:13,14]. Em toda a Bíblia não se encontra nenhum incentivo para fazermos nossos pedidos, promessas e votos a terceiros.
Os Santos não Escutam – Um devoto junino acredita piamente que seus “santos” ouvem suas petições por ocasião destas festividades natalícias ou fora delas, mesmo sabendo que estas personagens já morreram há séculos! Mais uma vez a Bíblia rejeita este conceito por declarar a posição correta dos mortos em relação aos vivos: “Pois os vivos sabem que morrerão, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco têm eles daí em diante recompensa; porque a sua memória ficou entregue ao esquecimento. Tanto o seu amor como o seu ódio e a sua inveja já pereceram; nem têm eles daí em diante parte para sempre em coisa alguma do que se faz debaixo do sol.” [Eclesiastes 9:5,6]. Veja que o verso nos diz que os que já morreram não sabem coisa nenhuma do que acontece aqui em nosso mundo, na terra (debaixo do sol). é claro que há consciência onde eles estão, mas aqui em nosso mundo eles não podem ajudar ou atrapalhar ninguém.
Invocação de Espíritos dos Mortos – Como já vimos, há uma crença em que o espírito de São João possa ser despertado por ocasião da soltura de foguetes, afim de vir participar daquela festividade em sua homenagem. Folclore ou não, isto reflete de modo perfeito a crença católica da invocação dos santos. é claro que se o santo já morreu, o que é invocado é o espírito dele, e isto bate de frente com a advertencia bíblica a respeito da consulta aos mortos. Vejamos: “Quando vos disserem: Consultai os que têm espíritos familiares e os feiticeiros, que chilreiam e murmuram, respondei: Acaso não consultará um povo a seu Deus? acaso a favor dos vivos consultará os mortos?” [Isaías 8:19]. E mais: “Não se achará no meio de ti nem encantador, nem quem consulte um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; pois todo aquele que faz estas coisas é abominável ao Senhor, e é por causa destas abominações que o Senhor teu Deus os lança fora de diante de ti.” [Deut. 18:9,-12]. No fundo a prática de invocar o espírito dos santos nada mais é do que uma prática espírita e como tal, é reprovada por Deus.
Outro Espírito Recebe em Lugar do Santo – Como ficou demonstrado biblicamente os espíritos dos santos não sabem de nada do que acontece em nosso mundo, portanto não podem interceder por ninguém. Já que eles são neutros nisso tudo, para quem vai então às honras e os louvores destas festividades afinal? O apostolo Paulo estava ensinando quase a mesma coisa aos cristãos de Corinto quando disse: “Antes digo que as coisas que eles sacrificam, sacrificam-nas a demônios, e não a Deus. E não quero que sejais participantes com os demônios.” Um pouco antes, ele acabara de dizer que o ídolo nada é ( 8:4 ), ou seja, quando os gentios sacrificavam suas oferendas e suas festividades a tais deuses, eles na verdade estavam sacrificando aos demônios (que eram os únicos a receberem tais oferendas), pois o ídolo nada é. Não estaria acontecendo algo similar nas festas juninas? Quando um devoto oferece sua colheita, suas oferendas e festividades a tais santos que segundo a Bíblia, não pode interceder e saber o que está acontecendo, quem então as recebe? Ou então, quando o pedido é atendido, quem concede estas “graças” às pessoas nas festas juninas? De uma coisa temos certeza: dos santos é que não são!
Comidas e Imagens – Por último temos duas práticas rejeitadas pela Palavra de Deus. As comidas que são oferecidas nas festas juninas por vezes são benzidas e oferecidas ao santo que nada mais é do que um ídolo, pois a ele se fazem orações, carregam sua imagem em procissões, beijam-na, prostram-se diante dela etc. Como exemplo, temos o famoso pãozinho de Santo Antonio! Entretanto, a Bíblia diz: “Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos…não podeis participar da mesa do Senhor e da mesa de demônios.” [Atos 15:29 ; I Co. 10:21]. Quanto às imagens dedicadas aos santos, elas são proibidas pela Bíblia nos seguintes termos: “Não farás para ti imagem esculpida, nem figura alguma do que há em cima no céu, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra; não te encurvarás diante delas, nem as servirás;” [Deut. 5:8,9]. Estes são resumidamente alguns poucos motivos, para todo cristão genuíno não participar de tais festividades.
Conclusão
Pare e pense: como vimos, todas as práticas encontradas nas festas juninas são rejeitadas pela Palavra de Deus. Será que Deus se agradaria de tais festividades, quando sabemos que elas desobedecem explicitamente o que Ele ordenou em sua santa Palavra? Será que os católicos realmente estão honrando a Deus com isso? Pense novamente: Se Deus rejeitou as festas de Israel que eram dedicadas somente a Ele [Amós 5:21-23] , mas que haviam sido mescladas com elementos dos cultos pagãos dos países vizinhos, não rejeitaria com mais veemência ainda as ditas festas “cristã”dedicada aos santos ?
Fonte : gospelcristao

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Bilhões em ouro descoberto em Israel servirão para construir o Terceiro Templo

Bilhões em ouro descoberto em Israel servirão para construir o Terceiro Templo
A descoberta de ouro com valor estimado na casa dos bilhões de dólares sob o Monte Eilat no sul de Israel chamou atenção esta semana. A entrevista do rabino Yehuda Glick, diretor executivo do Instituto Monte do Templo em Jerusalém, divulgada pelo site Breaking Israel News, indica que esse dinheiro poderia facilmente ser usado para a construção do Terceiro Templo.
Yehuda afirma que havia mantido isso em segredo durante os últimos anos, mas agora deseja que o governo seja pressionado para permitir que o ouro seja retirado.
Embora bastante criticado por correntes do judaísmo, o rabino Glick é internacionalmente conhecido por sua dedicação em assegurar que o Monte do Templo seja acessível a todas as pessoas que desejem adorar no local sagrado na capital de Israel.
Seus esforços já despertaram a ira de muçulmanos a ponto de ele ter sido vítima de uma tentativa de assassinato em outubro de 2014, quando foi atacado por um terrorista palestino. Ele recebeu quatro tiros no peito, mas sobreviveu e acredita que isso só reforça sua disposição de ver o Monte do Templo servir novamente como “casa de oração para todos os povos”.
Rabino Yehuda Glick, diretor executivo do Instituto Monte do Templo em Jerusalém.
A descoberta do ouro ocorreu após Yehoshua Friedman, um dos pesquisadores do Instituto do Templo, fazer pesquisas sobre cada uma das 12 pedras que ficavam no peitoral do Sumo Sacerdote, conforme descrito no Antigo Testamento. Cada pedra representa uma das 12 tribos de Israel.
Friedman e Glick afirmam que conhecendo os versículos bíblicos a respeito do ouro na Terra de Israel, percebeu que o assunto devia ser melhor investigado. A descoberta do ouro no Monte Eilat ocorreu pela primeira vez em 2007, na escavação de uma equipe da Austrália.
Como a exploração não foi levada adiante na época, agora o Instituto do Monte do Templo só aguarda uma autorização do Ministério de Energia e Infraestrutura para recomeçar. Eles já fizeram contato com várias outras empresas de mineração para analisar a estrutura geológica das montanhas de Eilat.
Quando perguntado o que pretende fazer com os bilhões de dólares que podem ser retirados do local, Glick asseverou: “Esperamos usar o ouro na construção do Terceiro Templo. Queremos usar esse ouro para fazer todos os utensílios necessários para o serviço [sacerdotal] e vender o restante. O dinheiro servirá para comprar os materiais e pagar a mão de obra necessária para reconstruir o Templo. Estamos ansiosos para este grande dia!”.
Todas as vezes que religiosos judeus começam a falar sobre o Terceiro Templo, isso implica em retirar do Monte duas mesquitas sagradas para os muçulmanos que estão atualmente no local. Os rumores já geraram uma ameaça de guerra. Alheio a isso, o Instituto do Templo já anunciou que tem quase tudo pronto para recomeçar os sacrifícios segundo o ritual bíblico, tendo inclusive treinado sacerdotes e levitas.

Fonte: gospelprime

domingo, 21 de junho de 2015

Me respeite viu! Fui promovido a apóstolo

Me respeite viu! Fui promovido a apóstolo
Há uma letra de um louvor, que fala bastante ao meu coração, que diz: “Eu não preciso ser reconhecido por ninguém; a minha glória é fazer com que conheçam a ti, e que diminua eu, pra que Tu cresças, Senhor, mais e mais.”.♫
Eu sempre aprendi desde criança que todos nós somos iguais, apesar de atuação em diversas áreas na igreja, mesmo assim diante de Deus somos servos inúteis, pois fazemos apenas o que está ordenado pra fazer.
O próprio Jesus nos ensina que, aquele que exaltar a si mesmo será humilhado e o que se humilhar será exaltado, também nos ensina sobre, a soberba, de querer sempre ser os primeiros, nos adverte sobre posições elevadas no serviço, sobre servo e senhor Veja: Marcos 8:34, Marcos 09:34-35,Marcos 10:43-44, Mateus 10:7-10,Mateus 18:4, Mateus 20:24-28, Mateus 23:10-12.
Sobre talentos, Dons, serviços, ministérios, temos a noção que tudo seja colocado e usado pra honra e glória do nosso Senhor Jesus Cristo, só a Ele a Honra e a Glória.
Eu sempre orei ao Senhor, que eu nunca saísse da simplicidade, que esta fosse minha atitude até a volta de Cristo. Mesmo que seja conhecido entre os irmãos continuasse nos bastidores, dando a glória ao único merecedor dela, procurando a todo tempo fugir da vaidade.
Quem dera que todos cantassem este louvor como uma expressão verídica do que está cantando, que “diminua eu” diz a letra deste louvor, mais muitos desejam que os outros diminuam, para eles aparecerem.
Chegam a procurar cargos elevados, e promoções apenas para se mostrarem superiores aos demais. Título de Pastor, não é mais interessante tem que ser de Bispo pra cima .
Só não entendo algumas promoções que acontecem, muitas delas, apenas para mostrarem uma superioridade em relação ao serviço. Há uns quinze anos atrás, lembro-me bem ,não era normal usarem títulos como “DD” Doutor em Divindade, “Apóstolo”.
Mas nesta ultima década , já contabilizamos diversos Doutores Divinos, e apóstolos, maioria deles promovidos de uma hora pra outra. Como funciona isto? Um determinado Pastor, cresce na mídia, fica conhecido internacionalmente, e não quer mais o título de pastor e de repente, aparece como apóstolo, e se recusa a se chamar de Pastor.
Seria uma crise de identidade? Outro dia peguei um livro de um certo Pastor, recém promovido a apóstolo, e fui ler sobre o autor e seu ministério. Confesso fiquei chocado com tanta glória atribuída a ele.
Este “apóstolo” colocou Paulo no bolso, com tantos títulos e cargos e obras realizadas. Não sou contra a nenhum título, nem cargos elevados dentro do corpo de Cristo,( igreja), nem também a honra, pois a bíblia fala que devemos dar honra a quem tem honra.
O problema é quando se usa a honra para e elevo do ego do honrado, mostrando que suas muitas letras, lhe deixa muito sábio, mostrando a todo tempo sua superioridade aos demais.
Em I Corintios 1:27-29 o Apóstolo Paulo diz: Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes.
E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para que nenhuma carne se glorie perante ele. Para que, como está escrito: Aquele que se gloria, glorie-se no Senhor. Paulo mostra o que significa ser Apostolo, ele cita que, embora muitos não o consideram, ele foi colocado por ultimo como exemplo de trabalho e humildade.
Será que os doutores dos dias atuais querem seguir o exemplo de Paulo? Será que eles podem copiar este modelo? Será que o copiaremos na íntegra, mesmo que represente perda para nossa vidinha boa.
O próprio Paulo nos aconselha: sede, pois meus imitadores, veja: I Coríntios 4:17. Ninguém quer copiar Paulo. Veja como ele abre sua intimidade e mostra abertamente seu luxo, seus ganhos, seus carros, sua mansão, veja o relatório de Paulo em I Corintios 4:9-13: Porque tenho pra mim, que Deus a nós apóstolos nos pôs por últimos, como condenados à morte; pois somos feitos espetáculos ao mundo, aos anjos, e aos homens. Nós somos loucos por amor de Cristo, e vós sábios em Cristo; nós fracos, e vós fortes; vós ilustreis, e nós vis.
Até esta presente hora sofremos fome, e sede, e estamos nus, e recebemos bofetadas, e não temos pousada certa. E nos afadigamos, trabalhando com nossas próprias mãos; somos injuriados, e bendizemos; somos perseguidos, e sofremos; Somos blasfemados, e rogamos; até ao presente temos chegado a ser como lixo deste mundo, e como a escória de todos.
Alguém se candidata ao apostolado? Veja também: I Tessalonicenses 2:9 , Filipenses 4:11-12. Paulo mostra seu trabalho, mostra de onde vinha seus ganhos, também mostra sua fadiga e que nenhuma ambição fazia parte de seu ministério mesmo que passasse até fome ele estava satisfeito.
Que saudade da igreja primitiva escrita em Atos dos Apóstolos, onde chegamos?. Por estes últimos dias creio que Deus levantará uma nação de servos de orelha furada que não queira ser reconhecido, que busque a glória de Deus sobre todas as coisas.
Que se preocupe em pregar a palavra, apenas a palavra, sem invenções. Que Deus por sua infinita misericórdia levante tais adoradores, para transformar este mundo tenebroso. Romanos 12.
“E que diminua eu pra que tu cresças Senhor, mais e mais” ♫
Pb Josiel Dias

sábado, 20 de junho de 2015

92ª Assembleia da Convenção Batista Baiana

Acontecerá nos dias 30/06 a 04/07/15 a 92ª Assembleia da Convenção Batista Baiana, que será realizada na Primeira Igreja Batista de Rio Novo, na cidade de Ipiaú/Bahia. Participe e traga sua caravana.

Fonte: ABG

Deus não procura religiosidade e sim relacionamento

Deus não procura religiosidade e sim relacionamento
No princípio Deus criou o homem para se relacionar com Ele.  A Bíblia nos mostra, que pelo menos havia um período que criatura e Criador passavam juntos. A Bíblia mostra em Gênesis que na viração do dia ambos conversavam, ambos se relacionavam. Dias após dias mantinham-se juntos, conversavam passavam momentos creio que incríveis. “Isso é relacionamento”
Esse relacionamento íntimo foi quebrado não pelo Criador, mas pela criatura. A primeira atitude que o homem Adão tomou quando desobedeceu a Deus foi fugir de sua presença e esconder-se atrás das desculpas [Árvores].
Se dependesse apenas do homem Adão para reatar essa comunhão, não aconteceria, pois após a queda sua natureza foi corrompida e o pecado o empurrava o tempo todo pra longe do Criador.
O Criador como sempre teve a iniciativa de procurar o homem – Adão onde estás? Gênesis 3:9
Homem Adão: Ouvi tua voz soar no jardim e temi, porque estava nu, e escondi-me. Gênesis 3:10
Perceba que eles fugiram, Adão e Eva, ambos atrás das árvores e das desculpas. O nu fez com que o Adão sentisse vergonha, vergonha literalmente falando por sua nudez e vergonha de ter desobedecido, pecado contra Deus. Isso o empurrou pra trás das árvores, fugindo assim da presença e da comunhão que ambos tinham com o Criador.
Até hoje continua desse mesmo jeito, nós erramos e fugimos, nos escondemos o tempo todo, atrás das árvores, atrás das desculpas. Se depender de nossa própria natureza ficaremos distante de sua presença.  Deus não desistiu de Adão, nem nunca desistirá de nós.  Todos os dias o tempo todo, Deus tem buscado por nós, perguntando: Onde estão vocês?
O Caminho para o relacionamento está em  João 3:16
Fugir, ficar escondido, não é uma boa opção, devemos, reconhecer nossas fraquezas, devemos nos arrepender e correr o mais rápido possível para bem perto dEle, através do caminho chamado Jesus.  Eu sou o caminho a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai se não por mim. João 14:6
O Criador busca essa comunhão, esse relacionamento o tempo todo com a criatura, mas como o velho Adão, fugimos o tempo todo de Sua presença. Quase sempre não queremos se quer ouvi-Lo, nem muito menos conversamos com Ele.
“Até muitos que estão frequentando até uma igreja e se diz cristão frequentador assíduo do Jardim, tem atitudes um tanto estranha de não querer buscar o tempo todo a presença do Criador. É como querer desfrutar do jardim, sem querer muita conversa com o Criador”
Já percebeu como é difícil passar algum tempo orando ou mesmo lendo a Bíblia? Percebeu como as vezes temos tempo pra tudo menos para passarmos na presença de Deus?  Já percebeu que todas as vezes quando você diz: Vou separar um tempo para leitura, isso quase nunca acontece?  Já percebeste que muitas vezes perdemos tempo com coisas fúteis? Já percebeu que administramos muito mal o nosso tempo?
Quando passamos mais tempo na presença de Deus, somos moldados a sua semelhança, todos notam quando estamos usufruindo a Sua presença. Quando estamos em sua presença não nos importamos com as “modas e costumes” desse mundo.
O recado hoje é pra nós que muitas vezes até fazemos parte de alguma igreja, mas não estamos querendo muito papo com o Criador.  Não se esconda Dele, Ele te busca o tempo todo e quer revelar-te coisas tremendas, basta atentarmos pra isso.  Separe um tempo para a oração, converse, Ele está pronto para te ouvir. Não espere ter vontade, pois como falei a nossa natureza nos empurra o tempo todo pra longe Dele.
Como responderíamos hoje essa pergunta do Criador: “Onde estás”?   Será que responderíamos: Eis-me aqui, ou responderemos: estou com medo, estou com vergonha por estar nu, então me escondi, fugi.
Nu significa: [pecado, desobediência].  Até quando continuaremos escondido atrás das desculpas? A nossa sorte é que Deus é misericordioso e longânime para conosco
“Olha com o Criador continua tendo iniciativa nesse relacionamento com o homem”:
“E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração”. Jeremias 29:13
“E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra”. 2 Crônicas 7:14
“Sou Eu, Eu mesmo, aquele que apaga tuas transgressões, por amor de mim, e que não se lembra mais de teus erros e pecados. Relembra o teu passado para mim; vamos discutir a tua causa. Apresenta as tuas razões e motivos para que possas te justificar”! Isaías 43: 25-26
“Abandone o ímpio o seu caminho, e o homem mau as suas maquinações, e volte para Yahweh, pois ele terá misericórdia dele; retornai ao nosso Deus, pois ele dá de bom grado o seu perdão”. Isaías 55:7
Não basta ser religioso, não basta frequentar todos os dias a igreja se estamos com nossos corações distantes de DEUS, não adianta ser ritualista e em nossos corações estamos fugindo dele, estamos sem querer ouvir a Sua voz, nem tão pouco temos vontade de falar com Ele. Não adianta nada disso se não for pra estar o tempo todo em Sua presença.
Deus não busca por religiosidade, Deus busca por relacionamento isso faz toda a diferença.
Deus continue nos despertando pra essa realidade
Pb Josiel Dias

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Pregar que Jesus é o filho de Deus pode virar crime na Inglaterra

Pregar que Jesus é o filho de Deus pode virar crime na Inglaterra
Um importante teólogo anglicano alertou que o ensino cristão tradicional, como acreditar que Jesus é o filho de Deus, pode tornar-se crime no Reino Unido. O jornal Telegraph pulicou uma entrevista com o pastor Mike Ovey, que também é advogado, atual diretor de Oak Hill Theological College, em Londres.
Ele denuncia que a proposta do primeiro-ministro britânico David Cameron, que deveria minimizar o extremismo religioso pode ser “um desastre” para o ensino religioso no país.
“Como advogado acho que é um desastre. Como crente e professor cristão acho que é um desastre”, asseverou Ovey.  A proposta que deveria defender o que vem sendo chamado de “valores britânicos”, como a democracia, a tolerância e o Estado de direito, poderá reprimir qualquer ponto de vista que se oponha a esses valores.
Ovey lembra que no Reino Unido um grande número de casos recentes comprova que a sociedade tem se voltado contra pregadores cristãos. Vários foram presos após pessoas se queixarem às autoridades de sua mensagem, considerando-a “homofóbica” ou “discurso de ódio”.
Para o pastor, depois da homofobia, o próximo passo é lutarem contra o aborto, assunto que tem cada vez mais levantado debates entre os ingleses. Em breve poderá chegar ao cerne da fé cristã, uma vez que afirmar que Jesus é o filho de Deus apresenta-se como uma ofensa aos muçulmanos, grupo religioso que mais cresce no Reino Unido.
Cameron, que pertence ao Partido Conservador, conseguiu uma surpreendente vitória nas eleições gerais de maio, dando-lhes um poder maior desde então. O primeiro-ministro britânico disse em várias ocasiões que é cristão. Contudo, na mensagem de Páscoa este ano, limitou-se a dizer que o cristianismo é “a base de uma boa sociedade.”
Uma vez que a Igreja Anglicana é a igreja nacional do Reino Unido, não raro políticas afetam as decisões religiosas. Com informações de Christian Post

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Brasil um país em crise moral, política e religiosa!

Brasil um país em crise moral, política e religiosa!

Os tempos são difíceis no Brasil em vários aspectos (refiro-me a “tempos” porque nossos problemas nacionais emendam décadas e enlaçam gerações); existe a crônica e sistêmica dificuldade da corrupção política derivada de uma outra desvirtuação moral que também emana de mais uma adulteração imaterial (espiritual) – sim, e nesta última a constatação de que a alma do “povo brasileiro” está doente! Ficamos enfermos pois bebemos dos cálices das mentiras variadas e nos alimentaram dos banquetes de enganos e trapaças – por isso que o brasileiro é de alguma forma “corrupto”; nosso espírito geme no que parece um beco escuro e sem saída e nossa vida se esvai em meio a tanta desgraça social.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel A última esperança é a “igreja de Jesus”, pois para esta as portas do inferno não prevalecerão; para ela a mentira não triunfa e o pecado em qualquer estágio e meio não é tolerado. Estamos numa “crise de verdade” e num cenário de inverdades onde se mente do “púlpito” ao parlamento; da polícia ao judiciário e da liderança comunitária a Presidência da República. É uma crise moral onde a retidão se extingue frente a intentos de ganância e poder onde tudo vale e se justifica. É uma crise de valores onde o relativo não permite convergirmos em quase nenhum acordo – todo mundo tem a sua verdade e sua isolada posição – e numa sociedade em que ninguém se entende a própria se destrói.
Também estamos em meio a uma crise de respeito e civilidade, há uma guerra entre “cristãos” (com destaque para alas evangélicas) e “gays” neste país, onde os primeiros através de alguns de seus líderes pelo discurso da defesa da família e dos bons costumes formam um cinturão de apelo político e usam do canhão das mídias evangélicas para mobilizarem o segmento a pressionarem os legisladores na aprovação de leis mais “teocráticas”; incitam a promoção de boicotes comerciais a empresas que “apoiam” o homossexualismo, fomentam discussões e desferem acusações ao ativismo gay. Essa “causa evangélica” deixa de ser cristã quando instiga ódio e arranca fobias interiorizadas em mentes fundamentadas na extrema e única opção de condenar pessoas. O brasileiro têm liberdade se quiser ser gay ou lésbica e ponto. O cristão também tem o direito de continuar pregando o evangelho sem ofender as pessoas – apenas repetindo o que as Escrituras ensinam. Vale lembrar que a Palavra de Deus enquanto o indivíduo está vivo só condena o comportamento dele e não o próprio, de outra forma Deus jamais o chamaria ao arrependimento – não haveria sentido para tal.
Evangelho no sentido vernacular são boas novas de salvação – é isso que a igreja evangélica precisa se ocupar em fazer – quem convence é o Espírito Santo! Se nós temos a verdade e se o ativismo gay quer propor e impor inversões de papéis sociais através de um novo conceito de sexo e família – nosso comportamento precisa basear-se numa apologia fidedigna à Palavra de Deus em todos os sentidos – inclusive naquela de amar o próximo (gays, lésbicas, bissexuais e travestis); se quisermos dialogar com essa sociedade não evangélica onde não impera quase nada de valores bíblicos; teremos de ouvi-la, respeitá-la em seu direito de expressão e para os mais radicais de nosso meio o apelo não é menos radical – você terá que dar a face mesmo àqueles que aprovam demonstrações como a do transsexual que aludiu a Jesus crucificado sobre um trio elétrico em plena parada gay.
Voltando ao campo político e estendendo uma ponte de reflexão ao religioso, eu acredito que a presença de representantes cristãos na câmara dos deputados é necessária, como também representantes de outros segmentos sociais. Acredito que através da política é que conseguiremos fazer um país para e de todos, sob a ordem do respeito mútuo – ninguém obrigando ninguém a nada, quer por sentir-se injustiçado por ser minoria ou por achar-se absoluto pelo apoio da maioria. O Brasil não é uma “igreja” e menos uma “parada GLBT” e enquanto os enfrentamentos e xingamentos continuarem, mais distantes do entendimento ficaremos e os caudais generalizados de nossas crises só aumentarão.

Por Silvio Costa

quarta-feira, 17 de junho de 2015

A imprensa protege o ativismo gay, diz Silas Malafaia

A imprensa protege o ativismo gay, diz Silas Malafaia
A imprensa protege o ativismo gay, diz Malafaia
O programa Vitória em Cristo do último sábado (13) mostrou o desabafo do pastor Silas Malafaia a respeito de temas polêmicos. O primeiro deles foi a campanha de boicote ao grupo O Boticário pela campanha de Dia dos Namorados que mostrava casais formados por pessoas do mesmo sexo.
Malafaia deixou claro que não existe ganhador e nem perdedor. “Minhas convicções, meus princípios não é vitória ou derrota, é a causa. Qualquer empresa agora, no Brasil, para usar a grande mídia para apoiar homossexualismo vai pensar três vezes”, disse.
Ainda sobre esse assunto, Silas Malafaia citou que em todo mundo os homossexuais promovem campanhas de boicote contra empresas e que ninguém os condena por isso, nem os chamam de fundamentalistas, idiotas e outros xingamentos que foram feitos ao pastor.
O religioso citou o recente caso onde o cantor Elton John resolveu fazer boicote à marca Dolce Gabbana por conta da declaração de seus idealizadores, que são homossexuais, que se posicionaram contra a adoção de crianças por gays.
“Eu não vi um jornalista xingar o Elton John, eu não ouvi ninguém dizer que ele é idiota, quer dizer que quando é eles, pode, quando sou eu não pode? Me chamaram até de homofóbico! Ei, opinião não é crime”.
Malafaia também falou da defesa da imprensa brasileira pela causa gay, dizendo que se algum evangélico tivesse citado o homossexualismo no trio elétrico de uma das marchas para Jesus a imprensa teria denunciado e diversos órgãos públicos teriam se levantado contra os evangélicos.
Mas no caso da Parada Gay de São Paulo, nenhum desses órgãos e nem a imprensa se colocou contra o transexual que se crucificou, vilipendiando um objeto sagrado. “A imprensa é omissa, que vergonha!”, diz Malafaia cobrando um posicionamento crítico sobre este tipo de afronta.
“Quer dizer que liberdade de expressão é para o ativismo gay debochar e xingar quem eles querem e chamar de homofóbico. Quer dizer que liberdade de expressão é para jornalista escrever o que ele quer e detonar pastor e quem eles querem”, questiona o pastor.
Perseguição de judeus no Brasil
Outro assunto importante denunciado pelo líder evangélico é o caso da Universidade Federal de Santa Maria que recentemente foi citada em um caso que ganhou repercussão mundial.
A reitoria de pós-graduação pediu para que estudantes e professos judeus se identificassem, a situação repercutiu e entidades estão em alerta para saber se não se trata de um caso de antissemitismo.
Malafaia também ficou preocupado e pediu para a Sociedade Israelita ir até o final para encontrar os responsáveis. “Antissemitismo é crime no Brasil, é uma afronta”, disse ele. O religioso protestou dizendo que não vai aceitar tal atitude e que os responsáveis devem ser presos.

Fonte: gospelprime

terça-feira, 16 de junho de 2015

Cristãos têm de escolher Jesus ou a família na Argélia

Cristãos têm de escolher Jesus ou sua família na Argélia
Cristãos têm de escolher Jesus ou sua família
Na Argélia, país ao norte da África onde 97% da população se declara muçulmana, se converter ao cristianismo pode representar o fim das relações sociais e familiares.
Por lá, quem escolhe seguir a Cristo muitas vezes é confrontado a fazer uma opção: continuar a conviver com seus familiares ou continuar na nova religião.
Foi isso que aconteceu com Hassina e seu esposo Djamel (nomes fictícios usados por motivos de segurança) que se tornaram cristãos após assistirem um programa de TV. “Os programas que eles transmitem me deram uma visão diferente sobre Deus e sobre o significado da vida”, disse ela.
O marido de Hassina também se interessou pela mensagem e entrou em contato através do telefone para conhecer mais sobre a religião. Um líder da igreja local visitou o casal e respondeu as dúvidas deles a respeito de Deus, fé e salvação.
“Eu imediatamente orei expressando a minha fé em Jesus e meu desejo em segui-lo. Quando fiz isso, senti como se Deus tivesse me salvado de um poço profundo e experimentei profunda paz em meu coração”, disse Hassina.
Mas ao comentar com seus pais sobre a mudança de religião ela foi intimada a fazer uma escolha e no final optou por seguir a Cristo. “Eu não podia negar a Cristo. E, quando dei esta resposta, meu pai me mandou sair de casa.”
A história desse casal foi relatada no site Portas Abertas e assim como esta existem muitas outras de novos convertidos que são obrigados a se afastarem de suas famílias por conta da religião. “Os novos cristãos do Norte da África enfrentam consequências difíceis ao seguirem a Cristo”, diz nota do site pedindo oração para esses nossos irmãos que sofrem pressão pela escolha.

Fonte: gospelprime

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Escola Bíblica de Férias IB Barro Preto

A criançada da IBBP vai receber assim as férias escolares: com muita diversão!!! A EBF (Escola Bíblica de Férias) 2015 promete muitas aventuras junto com o nosso novo amigo Zé Limoeiro.

Inscreva sua criança e invista na vida dela!

A fé cristã é uma religião ou um relacionamento?

Eu já ouvi pessoas dizerem que a Bíblia é apenas uma lista de “faça” e “não faça”. As pessoas que dizem isso nunca leram a Bíblia. A fim de combater esse tipo de pensamento, alguns cristãos rapidamente responderão afirmando que a Bíblia não é, de modo algum, uma lista de “faça” e “não faça”. Mas, ao fazerem isso, eles jogam fora o bebê junto com a água suja. Aqueles que já leram a Bíblia saberão que ela não é apenas uma lista de “faça” e “não faça”, nem apenas um manual de como fazer coisas, nem um mero guia para uma vida moral. Não obstante, a Bíblia de fato nos diz o que fazer e o que não fazer. Ela nos diz como viver a vida moral que agrada a Deus e nos fornece os preceitos divinos para toda a vida. A Bíblia não é apenas uma lista de “faça” e “não faça”, é muito mais do que isso – é o grande enredo de Deus, do seu reinado e da sua redenção. Não obstante, ela de fato contém as listas divinas de “faça” e “não faça”, a fim de que possamos saber como amar, obedecer, glorificar e nos deleitar em Deus.
O cristianismo não é uma religião de moralismo, é a religião do evangelho da graça. É uma religião estabelecida sobre um relacionamento. Não é uma coisa ou outra, é ambas – um relacionamento e uma religião. Essas coisas não são mutuamente exclusivas e fazemos bem ao não colocarmos uma contra a outra. O nosso relacionamento evangélico com Jesus Cristo, pela graça somente, por meio da fé somente, é o fundamento para a nossa religião do evangelho que abrange o todo da vida. O nosso relacionamento com Cristo naturalmente conduz à religião pura e sem mácula (Tiago 1.26-27). Religião é uma palavra útil que usamos para descrever a nossa fé cristã, a qual abrange cada aspecto da nossa vida cristã, arraigada e procedente de nossos novos corações e mentes espiritualmente regenerados e fundada no relacionamento que Deus estabeleceu conosco ao nos unir a Cristo. No século IV, Agostinho defendeu o uso da palavra latina religio enfatizando a sua etimologia religare, a qual significa unir-se ou vincular-se, como num vínculo pactual entre o homem e Deus. A palavra religião, compreendida corretamente, une tudo aquilo em que cremos à medida que a vivemos na prática em todas as áreas da vida. O teólogo reformado holandês Herman Bavinck escreveu: “Religião não pode ser apenas algo na vida de alguém, mas deve ser tudo. Jesus exige que amemos a Deus com todo o nosso coração, toda a nossa alma e toda a nossa força”.
A nossa religião está estabelecida sobre Jesus Cristo, que não veio para abolir a lei, mas para cumpri-la (Mateus 5.17). Cristo cumpriu todas as justas exigências da lei em sua vida, para que sua morte fosse uma perfeita expiação pelos nossos pecados. De fato, nós somos justificados por obras – as obras dele, não as nossas. Cristo guardou perfeitamente a lista de “faça” e “não faça” do seu Pai por nós. E ele o fez não para que possamos ignorar os mandamentos de Deus, mas para que não mais sejamos escravos do pecado, e sim escravos da justiça. Cristo nos liberta pela fé para que possamos dar frutos. Para ser claro, nós somos salvos pela fé, e não pelos frutos, mas nós não seremos salvos por uma fé infrutífera. A graça de Deus nos capacita e o seu Espírito nos sustenta, ajudando-nos em nossas fraquezas a perseguirmos a santidade, enquanto descansamos na santidade de Jesus Cristo. Pois, como Martinho Lutero disse: “A fé não pode deixar de fazer boas obras constantemente. Ela não para para perguntar se boas obras devem ser feitas, mas, antes que alguém pergunte, ela já as fez e continua a fazê-las sem cessar”

Fonte: Voltemos ao Evangelho

Mais de 600 homens atendidos no "Cabra Macho, Sim Senhor" (IB Teosópolis)

A campanha de detecção precoce e prevenção ao câncer de próstata, desenvolvida pelo Ministério da Ação Social da Igreja Batista Teosópolis, atendeu este ano 625 homens, que fizeram exame de sangue e de próstata em Itabuna, de forma gratuita. O numero foi maior do que o registrado no ano passado. Os exames foram feitos na quadra poliesportiva do Colégio Batista, no Conceição. Desde as quatro da manhã, diversos idosos já se concentravam na porta do colegio. Todos foram atendidos. Quatro médicos especialistas atendiam os homens. Um grupo de forró, tocou na quadra da escola, para animar os que aguardavam para passar pelos exames. (Resenha da Cidade)

sábado, 13 de junho de 2015

Líderes piedosos fazem a diferença

Os Dez Mandamentos registra novo recorde e diminui diferença com Jornal Nacional

Os Dez Mandamentos registra novo recorde e diminui diferença com Jornal Nacional
Os Dez Mandamentos registra novo recorde
Nesta quinta-feira (11) a novela Os Dez Mandamentos registrou um novo recorde de audiência ao alcançar 15.9 pontos de ibope. Os números mostram que a primeira novela bíblica da Record tem conquistado o público brasileiro ao contar a história de Moisés.
Ao mesmo tempo em que a trama aumentou sua audiência, o programa concorrente, o Jornal Nacional da Rede Globo, perdeu mais de um ponto caindo de 23 para 21.9 pontos durante o horário.
O que a produção da emissora de Edir Macedo pode comemorar é que a diferença entre as duas empresas está cada vez menor no horário, registrando apenas seis pontos e garantindo o segundo lugar da Record.
Os Dez Mandamentos estreou em março e desde então tem se consolidado na audiência, alcançando números que há mais de cinco anos a Rede Record não registrava com suas novelas.
O episódio desta quinta teve cenas do assassinato do faraó Seti I que foi envenenado por Yunet. A vilã se passou por outra pessoa e entrou no quarto do governador egípcio dizendo que iria substituir sua esposa secundária. Ao seduzir faraó, Yunet coloca um pó na bebida e em pouco tempo ele morre. Com informações Terra

Você poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...